terça-feira, 11 de março de 2014

HIPPIES OU CRISTÃOS?

Tudo seria mais fácil para João Batista se ele pregasse "paz e amor"...


Jovens, paz e amor, liberdade total e pregação autêntica daquilo que se crê. Muitos acham que isso é o cristianismo. Estão confundindo os movimentos: o nome dessa ideologia é movimento hippie. Cantar que “todos precisam de amor” é a musiquinha grudenta dos Beatles, que alguns incorporam para o não menos grudento estilo worship dos cultos renovados.
A miopia pós-moderna nos faz cegos à ira santificada de Jesus. Para aqueles que, com um non-sense adolescente, afirmam que deveríamos pregar o evangelho sem criticar os outros, minha sugestão: leiam Mateus 23. Jesus não fez um discurso florido sobre amor e ação social. Ele criticou os líderes religiosos por suas perspectivas equivocadas (Mt 23:13-31). Quem conhecer o mínimo possível o que dizem os evangelhos, verá que não foi um caso isolado.
 Jesus vivia em disputa com fariseus, saduceus, herodianos e todo tipo de gente portadora de uma mensagem distorcida. Todos se lembram dos fariseus, os rígidos conservadores. Pouca gente se recorda dos saduceus, liberais acomodados com a cultura greco-romana.  Não restam dúvidas que hoje há muitos fariseus adventistas, mas os saduceus continuam no poder (como, aliás, já detinham na época de Jesus).
Os opositores da mensagem do Céu recebiam epítetos duros. João Batista os chamou de “raça de víboras” (Mt 3:7; cf.: Mt 23:33). Vê-se que o profeta não fora afetado pela epidemia do “paz e amor”. Quem lê as cartas de Paulo, sabe que ele não economizava nas palavras duras (1 Co 3:31-3; 4:19-20; 5:1-5; Gl 1:6-7, 9; 2:14; 3:1). O apóstolo Pedro também escreveu contra falsos mestres, de tendência libertina – liberais e mundanos (2 Pe 2:2-3, 12-14, 17-22). Se vivessem no mundo contemporâneo, João Batista, Jesus, Paulo e Pedro teriam seus sermões filmados por aparelhos móveis e compartilhados nas redes sociais. Os vídeos receberiam enxurradas de críticas daqueles que acham que deveríamos viver o evangelho sem criticar os outros!
Infelizmente, nossa cultura fez lavagem cerebral coletiva, removendo o senso crítico e colocando um sentimento róseo que aceita tudo o que o outro diz, sob a premissa de que o pior erro seria criticar qualquer erro! Obviamente, muita gente ainda não conseguiu entender que viver o evangelho se traduz por assimilá-lo em sua plenitude, o que envolve uma postura crítica diante dos erros populares. Assim andaram os profetas do passado, repreendendo o povo, apontando seus pecados, denunciando suas atitudes.
Pense em João Batista: qual era a relação dele com a família de Herodes? Aquilo não era “da conta dele”. Provavelmente, se tivesse se calado, viveria mais. Se João fosse o tipo de cristão com cérebro flácido, diria que era preciso aceitar e amar Herodes, sem dizer uma palavra, porque só o amor convence. Felizmente, o Batista preferiu sentenças condenatórias, porque constituía a vontade divina (Lc 3:19).
Hoje, quando um pregador age simbolicamente, rasgando orientações que não seguimos, isso nos incomoda, porque parece agressivo e ninguém aceita ser reprendido, porque nos achamos adultos e livres, “donos do próprio nariz”. Desdenhamos dessa coragem denunciatória, porque apontar os erros recebe o rótulo de coisa demoníaca. Falta fazer a diferença: o diabo nos acusa para desanimar e nos levar a crer que estamos perdidos em tantos e tão grandes pecados. Deus, por meio de mensageiros cheios de senso de dever, nos repreende como um pai, buscando a salvação de cada filho (1 Co 4:14; Hb 12:5-10). Salvação depende de arrependimento, não da sensação de bem estar quando o culto nos entretém com situações cômicas e músicas emotivas.
No fundo, queremos aceitar o evangelho desde que ele não nos incomode ou nos faça agir de um modo que nosso vizinho pense em contatar algum manicômio. Não desejamos a pecha de lunáticos e estranhos. Queremos o evangelho da calmaria, do “Jesus ama e salva, ponto final”. Para descontentamento geral, o Mestre disse que veio trazer espada e não paz. Em meio à controvérsia universal entre Jesus e Seu inimigo, conflitos são inevitáveis: “De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” (2 Tm 3:12; cf.: 1 Pe 2:12, 16, 19-20; 3:14-15; 4:12-13). O difícil é deixar o sofá da sala para suportar perseguição…

Leia também:


11 comentários:

Lucas Mendes disse...

É pastor, como disse o amigo Bruno, esse agir simbolicamente dele parece ter sido realmente vazio. Com boa intenção, disso não duvidamos, mas feito da maneira errada. Se formos seguir o raciocínio dele, quem será o próximo santo a rasgar Ciencia do bom viver e Conselhos sobre regime alimentar? Testemunhos para ministros então nem se fala...talvez rasguemos o livro de Salmos, o livro de Jó, o sermão do monte, e até os dez mandamentos do qual tanto nos orgulhamos de obedecer. Sejamos francos, muitos que pregam a plenos pulmoes a verdade do sábado alegando este estar na santa lei, esquecem do não cobiçaras a mulher...não dirás falso testemunho...e por ai vai. E se virar moda? E algum pastor no próximo sábado resolver levar uma marreta para o púlpito e quebrar o tanque batismal já que alguns que se batizaram não tem vivido conforme juraram que viveriam? Exageros a parte, a igreja precisa sim de homens que chamem o pecado pelo nome, a questão é quando e como isso deve ser feito.

douglas reis disse...

Lucas,

provavelmente eu não faria o que ele fez, e não creio que tenha sido ação impensada ou feita de modo impulsivo. O protesto do Pr. Horne serve para nos despertar para o estudo sério do Espírito de Profecia. Nesse sentido, apoio a intenção do protesto e oro para que, como você disse, mais homens se levantem para chamar o pecado pelo nome.

Um abraço.

Anderson disse...

Pois é pastor Douglas, muito bom artigo e é o que Deus me faz pensar também. Diz o Espírito de Profecia que os eventos que irão acontecer necessitam de cristãos piedosos que passem a mensagem de advertência do terceiro anjo (Primeiros Escritos):
"A Terceira Mensagem Encerrada

Foi-me indicado o tempo em que a mensagem do terceiro anjo estava para ser concluída. O poder de Deus havia repousado sobre Seu povo; tinham cumprido a sua obra, e encontravam-se preparados para a hora de prova a sua frente. Tinham recebido a chuva serôdia, ou o refrigério pela presença do Senhor, e se reanimara o vívido testemunho. A última grande advertência tinha soado por toda parte e havia instigado e enraivecido os habitantes da Terra que não quiseram receber a mensagem.

Vi anjos indo rapidamente de um lado para o outro no Céu. Um anjo com um tinteiro de escrivão ao lado voltou da Terra, e informou a Jesus que sua obra estava feita, e os santos estavam numerados e selados. Então vi Jesus, que estivera a ministrando diante da arca, a qual contém os Dez Mandamentos, lançar o incensário. Levantou as mãos e com grande voz disse: "Está feito"."

Não há céu para quem não se arrepender e a mensagem de nossa igreja é mesmo essa, chamar os pecados pelos nomes e dar oportunidade aos sinceros filhos de Deus de se arrependerem, a fim de serem selados para o céu.
Se não há crítica, como podemos anunciar o evangelho que contém duras críticas? Se anunciamos parte, o amor, esquecemos da outra parte, a justiça e com isso tornamos a mensagem um veneno para matar.

Abraços,
Anderson.

marcio goncalves disse...

Os Hippies eram altamente críticos dos líderes de sua sociedade.
Só um comentário.

marcio goncalves disse...

Por sinal, Anderson, o que faltava aos líderes criticados da época era justamente amor, isso era o principal alvo das críticas. Porque se fosse para seguir Leis, eles eram especialistas!
A crítica, pastor Douglas, não foi apenas para os "liberais", foi, talvez com ainda mais enfase, para os "conservadores" da época.

Rafa Mira disse...

Devido nós estarmos vivendo totalmente numa sociedade relativista, é normal hoje em dia sermões serem mais moderados, por exemplo, esta ficando antiético pregar que o sistema papal é apresentado na bíblia como a primeira besta do Ap. 13.
A mensagem divina sempre foi e sempre será,impopular,nojenta para quem vive na prática do pecado.
O terceiro Elias surgira, no PODER do ESPÍRITO SANTO chamando ao povo ao Arrependimento.
Deixo o apelo de Cristo ao cristianismo atual(Adventismo) ´´Sê pois zeloso e arrependete.`` Ap 3:20
Só existe duas opções, ou se arrepende, ou espere e seja vomitado.

Você pergunta Deus responde disse...

Não lhe conheço querido irmão Lucas, mas sinto em dizer que não é uma opção para qualquer pessoa que se chame cristã ser santo. Ser santo é uma obrigação (Lv 19:2; 1 Pd 2:9; Hb 12:14; 1 Ts 5:23;).

Essa vida não é um jogo de vídeo. Só temos uma vida no reino do pecado. Aqui a questão é vida ou morte eterna (Dt 30:19;). Se um irmão meu estiver mesmo indo para o caminho da morte, vou pleitear com ele com todas as minhas forças para que ele saia do caminho de Satanás.

Deus se utiliza de Seus servos para repreender Seu povo (Pv 9:8; Tt 2:15;). E Ele mesmo disse que disciplina e repreende a todos quanto ama (Ap 3:19;).

Então amigo e irmão, vamos levantar bem alto o estandarte de Cristo, não dando ao pecado de ninguém maior força, mas denunciando com todo o poder e amor de Cristo, não aquele amor fingido e tímido, aquele amor que deixa o irmão continuar tomando veneno, aquele "amor" que o próximo Satanás "ama" os seus. Devemos exortar aqueles que mostraram publicamente, através do batismo, que escolheram a cruz ensanguentada do Redentor. Que escolheram o reino de Cristo.

Se ainda houver dúvidas, leia toda a história de Ananias e Safira (At 5:1-14;).

Abraço querido irmão. Que Deus continue a aumentar a cada dia sua experiência espiritual.

raphael lourenço disse...

E meus irmão esta ai um dos motivos da sacudidura adoração e musica, parabéns pela coragem do pastor eu o vejo como Moises quebrando as tabuas por causa do povo.

Unknown disse...

Opiniões são bilatareis e reações tambem, se o tal povo de deus segurar as consequencias das criticas contra sua religião e demostração de discórdia tudo ficará ótimo, o pioe é que não aguentam

Nádia Britto Panaino disse...

Meu amigo, a cada artigo te admiro ainda mais!... Oxalá existissem mais pastores com tua coragem e garra!

Sabe o que mais me irrita? Aqueles velhos discursos:
"O amor é o mais importante de tudo - veja 1 Cor. 13" - tá, fale de amor com o inimigo no meio do conflito, principalmente agora, nos momentos finais....
"Se uma pessoa estiver convertida, não precisa falar de roupa, jóias e etc..." - sei, e deixa essa mesma pessoa dar estudos bíblicos vestida assim, e depois tenta consertar as pessoas que ela trouxer para a igreja... mais uma vez mostra-se que o mais importante são os números, não o estudo e prática da vontade de Deus; não a conversão e MUDANÇA DE VIDA. Além disso, como alguém pode NÃO ESTAR CONVERTIDA - já que não se veste adequadamente e usa artigos que não fazem parte da modéstia cristã, e participar da LIDERANÇA DA IGREJA??? Quer dizer que colocamos pessoas que não estão convertidas para liderar a igreja??? Como assim??? Explique-me isso!!! E o que dizer do Espírito de Profecia que juntamente com a Filosofia Adventista de Música coloca que quem participa da música na igreja deve ter a modéstia cristã como prática dentro e fora da igreja. Vamos rasgar essa página também????
"Como você vai chamar o pecado dos outros pelo nome? Você gostaria que chamassem o SEU pecado pelo nome?" DESCULPA MAIS ESFARRAPADA NÃO PODE EXISTIR!!!! Claro que gostaria que me chamassem a atenção se eu estivesse errada! Afinal de contas, não quero me perder... ou alguém aqui vai me ver errando e ficar bem calado, e deixar que eu me perca, só porque também são pecadores??? É assim que são amigos e irmãos??? Além do mais, isso é desculpa para não fazer mudanças, para não se incomodar, e não mexer com pessoas das quais se tem interesses escusos!!

Vamos deixar de brincar de ser cristãos, e nos preparar devidamente para o grande encontro com o Senhor Jesus!!! MARANATA! Ora vem, Senhor Jesus!

Anônimo disse...

Tenho medo de que alguém como a senhora acima ante solta pela rua...

"fale de amor com o inimigo no meio do conflito" - Se isso não é mundanismo, não sei o que é. O que Jesus falou sobre exatamente isso: amor, inimigo (Mt 5:44-48).

Vamos ler a Bíblia, meu povo. Parece que quem mais acha que sabe, menos sabe. Como a senhora acima, que nem sabe o que é cristianismo.