domingo, 31 de outubro de 2010

"DOCES OU TRAVESSURAS": A ORIGEM


Por influência dos países anglófonos, uma parte considerável do Ocidente comemora o Halloween. Você sabe qual a origem dessa festa, com suas representações de fantasmas e “criaturas do além”? Há algum tempo, li sobre isso em uma edição da revista Las Buenas Noticias (Julho/Agosto de 2004, pp. 2-3). O periódico é editado pela Igreja de Deus Unida, que mantém semelhanças com os adventistas do sétimo dia (também guardam o sábado, estudam Daniel e Apocalipse, entre outros pontos em comum). A seguir, um resumo do artigo sobre o Halloween:

Muitos séculos antes de Cristo, os celtas já comemoravam o festival de Samhain na véspera de seu ano novo, o que acontecia no dia 1o de Novembro. Segundo a crença deles, Samhain julgava os mortos na ocasião. Como as almas dos mortos ficavam aprisionadas nos corpos de animais, alguns eram libertados pela entidade e favoreciam os druidas revelando os segredos da vida após a morte ou potencializando augúrios;

Na ocasião, as pessoas se vestiam como espíritos para “confundir” os mortos que ficavam vagando e, desta forma, não sofrer nenhum dano. Comidas eram coladas às portas da casa para aplacar os espíritos libertos;

Na véspera do ritual de Samhain, ofereciam-se sacrifícios ao deus Bel (semelhante ao deus cananita Baal), os quais incluiam cavalos e até seres humanos;

Com a conquista dos caltas pelos romanos, os sacrifícios humanos cessaram e a celebração a Samhain se fundiu com a festa romana da deusa Pomona, que acontecia na mesma data;

Devido à degradação do Cristianismo, muitos costumes pagãos entraram na igreja. Assim, em 13 de Maio de 610, o papa Bonifácio IV dedicou um templo pagão a Maria e decretou uma nova data a ser comemorada pela igreja: o dia de todos os santos;

No século oitavo, Gregório III fez com que o dia de todos os santos passasse a ser comemorado em 1o de Novembro, o antigo dia da festa pagã de Samhain, o que foi pensado para “evangelizar” (leia-se: fazer média com) os pagãos. A partir dali, as relíquias (objetos religiosos ligados aos santos) eram exibidas e peregrinações a santuários famosos foram endossadas. A população foi incentivada a se fantasiar para honrar os santos e paroquianos se vestiam como santos, anjos ou demônios nas igrejas pobres;

Com o tempo, criou-se a festa das Almas, cuja data era 2 de Novembro (o nosso dia de finados!). Ambas as celebraçoes se fundiram, passando a acontecer em 1o de Novembro. Em Inglês, o dia 31 de Outubro se tornou All Hallows’ Even (a noite de todos os santos), que evoluiu até se tornar o Halloween.


Com todo este histórico, dificilmente algum cristão poderia conscientemente apoiar a celebração do Halloween. Uma festa que nasceu pagã e recebeu o endosso do Catolicismo apóstata, merece a completa rejeição daqueles que servem a Jesus verdadeiramente.

2 comentários:

Jair disse...

Parabéns pelo blog. Que ele possa ajudar a esclarecer temas controversos mas que, muitas vezes, são considerados verdadeiros pela dita "ciência superinteressante" e outras. Abraço. Jair (bairro Floresta/Joinville).

Anônimo disse...

O misticismo do Halloween já prova sua origem satânica. É uma arma inteligente, afeta principalmente as crianças e suas mentes abertas. É como a atenção que alguns dão ao triângulo das bermudas, Satanás usa todo esse misticismo para prender atenção e confundir, dizendo que existem fantasmas e criaturas sobrenaturais, sabemos que o sobrenatural existe sim, mas não da forma que está sendo pregada, o sobrenatural pode talvez ser resumido nos seres celestiais que não podemos ver.