quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

A CONTRADITÓRIA AGENDA DE SCHEILA CARVALHO



Scheila Carvalho já foi arquétipo da mulher brasileira, ou pelo menos, de seu conceito popular. Sobretudo no exterior, a imagem da mulher brasileira ainda está, sem dúvida, associada à sensualidade. Não que os gringos sejam culpados por isso: afinal, com tanta exposição chula do corpo feminino no carnaval, não se podia esperar que vissem as brasileiras (até aquelas que não têm nada que ver com o “espetáculo”) de forma pejorativa.
Claro que muitas mulheres fazem carreira (des)valorizando o corpo – e aí estão as revistas masculinas para potencializar esse capital. Scheila, que já foi bancária antes da fama, foi capa de revistas desse tipo e se popularizou entre os marmanjos salivantes. Faltava à ex-dançarina do grupo É o Tchan consumar sua imagem de musa na Sapucaí. Aos trinta e oito anos, a moça finalmente desfilou, sendo a Mangueira a escola escolhida.
Além da participação no carnaval carioca, a mineira Scheila também agregou mais um ensaio fotográfico à sua coleção, realizado para um famoso site. Com toda essa carreira “mundana”, seria estranho pensar na modelo como uma pessoa religiosa. Entretanto, em recente participação no programa Muito Mais, da Rede Bandeirantes (exibido no último dia 26 de Fevereiro), Scheila Carvalho assumiu o desejo de ser missionária evangélica.
O assunto repercutiu no microblog Twitter, sendo um dos assuntos mais comentados da última Segunda-Feira, 27 de Fevereiro. Não deixa de ser assustador que alguém como Scheila, (que se, por um lado, mostra-se ligada à família, por outro, continua realizando ensaios fotográficos sensuais) deseje trabalhar na obra de Deus. Obviamente, Deus transforma pessoas. Ele ama a todos e pode usar os que se dispuserem.
Ao mesmo tempo, não podemos nos esquecer de que o Senhor espera de nós a santidade: “vocês também estão sendo utilizados como pedras vivas na edificação de uma casa espiritual para serem sacerdócio santo, oferecendo sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo.” (1 Pe 2:5, NVI). O apóstolo também continua dizendo que devemos nos abster “dos desejos carnais que guerreiam contra a alma” (v.11). Orientando o jovem Timóteo sobre critérios para a escolha de líderes da igreja, Paulo também observou que se escolhem pessoas de “boa reputação” e “consciência limpa”; especialmente sobre as mulheres, pede-se que sejam “dignas, não caluniadoras, mas sóbrias e confiáveis em tudo”. (1 Tm 3:7,9, 11).
Jesus é poderoso o suficiente para recuperar alguém da vileza do pecado e utilizá-lo em seu serviço. Mesmo Maria, uma prostituta, tornou-se a primeira a anunciar Sua ressurreição. Mas deve haver abandono do pecado (1 Co 6:9-10). Se continuarmos nas mesmas práticas, o Senhor não pode aceitar nosso serviço dividido. “Não podeis servir a dois senhores”, é a séria advertência que Deus faz para todos nós (Mt 6:24).


Leia também: A canção e a vida



2 comentários:

aurea disse...

Nossa !! as pessoas hoje tem um conceito muito distorcido,sem noção sobre as coisas de DEUS.Querem servir a JESUS de qualquer jeito.Acham que DEUS é obrigado a aceitar tudo,,me poupe!!!Qual a diferença do trabalho de pousar nua,para um trabalho de boate etc...????.abafa o caso.

Jlanne Rocha disse...

Pastor Douglas, pelo que entendi, o senhor fez um comentário sobre a situação da Scheila, mas não emitiu seu parecer pessoal acerca da situação. No contexto atual da vida dela, o que esperarmos. Ela está buscando uma mudança de vida ou somente encorpando o grupo dos "cristãos mundanos" que existem por aí? Abraços