domingo, 18 de novembro de 2012

OS ADVENTISTAS QUE QUERIAM SER APENAS EVANGÉLICOS


Houve um debate necessário dentro do adventismo, o qual consistia em perguntar qual era a relação do movimento com as demais igrejas evangélicas. Corria a década de 1950s. Talvez o esforço exagerado em aproximar adventistas de evangélicos tenha rendido frutos negativos de lá para cá. A bem da verdade, temos de compreender o termo evangélico antes de um juízo de valores.

O evangelho é a boa nova de Jesus, que consiste em compreender fatos históricos associados com a obra salvadora do Deus-homem e seus decorrentes benefícios. Evangélico não é apenas quem diz crer nesse conjunto de verdades: torna-se um termo mais amplo, quando pensamos na gama de tendências abrigadas sob sua nomenclatura: protestantes históricos - quer calvinistas ou arminianos, luteranos ou episcopais - e pentecostais - de todas as ondas, com diferentes ênfases, como glossolalia, exorcismo ou teologia da prosperidade e confissão positiva. O leque de opções oferecido pelo vocábulo "evangélico" é de tal amplitude que confunde mesmo...

Com o  fundamentalismo cristão unindo denominações divergentes em causas comuns, a atuação do movimento das mega-igrejas e, mais recentemente, com o movimento da igreja emergente (cristãos pós-modernos), os evangélicos estão mais unidos e próximos do que antes. Para além de confissões, placas de igreja e lideranças beligerantes, ser evangélico é um conceito monolítico. A razão para isso: hoje os evangélicos estão mais unidos em torno do louvorzão, dos shows gospel e de uma experiência religiosa altamente emocional do que em torno de coisas como doutrinas, esforços evangelísticos e posições morais claras. Antes, os evangélicos batiam de porta em porta para convidar para seus cultos. Hoje, eles vão ao festival talento da Globo ou aparecem nos telejornais organizando efusivas edições da Marcha para Jesus.

Muitos adventistas queriam abrir mão de suas doutrinas, diagramas proféticos e cultos onde se estuda a Bíblia para adotarem o entusiasmo dos carismáticos e os acordes dos mega-shows evangélicos. A grama da congregação ao lado parece mais verde. Os métodos dos líderes que enchem suas igrejas encantam pastores adventistas. Participar de Homecoming de Bill Gaither é o sonho dos cantores adventistas "das antigas" - os mais novos adorariam excursionar com Hill Song ou viver de worships...


Hoje, para muitos parece uma atitude "fechada" manter nossa identidade de movimento com cara de século XIX em plena época de internet e consumismo. Querem reforma. Não revivamento e reforma - mas uma espécie de reforma que torne o adventismo o que os evangélicos, grosso modo, estão se tornando - um movimento que se preocupou tanto em se contextualizar que se aculturou.

Confesso meu temor com esse desejo, principalmente porque, como se diz, o que se quer pode se tornar realidade. Infelizmente, esse parece ser o rumo - a despeito disso, há um Deus trabalhando com Seu Espírito entre nós. Que Ele tenha misericórdia de Seu povo. Que Ele nos guie à Verdade (Jo 17:17). E antes que as coisas piorem...

29 comentários:

Filipe Reis disse...

Caro irmão,

Você não imagina o quanto concordo com a sua reflexão!

Que Deus o abençoe sempre com a mesma coragem.

Abraço.

Cláudio Santos disse...

Amém! Que Deus continue iluminando sua mente, na transmissão das verdades do nosso Deus. Quando precisar, tem um "camarada" aqui em Belém do Pará para ajudá-lo na defesa da fé. Forte abraço!

Wellington disse...

Senti um preconceito nessas palavras contra os irmãos evangélicos.
O pior mesmo é achar que somente a nossa grama é verde e a dos outros seca.
Que Deus tenha misericórdia de nós que somos preconceituosos, de julgarmos o nossos irmãos que foram salvos pelo sangue de Jesus na cruz.

douglas reis disse...

Wellington,

obrigado pela sua interação. Mas creio que você não compreendeu o ponto: não estamos falando de pessoas, as quais Deus julgará pela luz que receberam e pelo quanto quiseram receber. Analisamos tendências. E, de fato, Deus comissionou o movimento adventista.

Não somos - e não devemos tentar ser - apenas outra igreja. Temos a luz especial para esses últimos dias. Isso não nos torna melhores em relação a ninguém, ao contrário: seremos mais culpados diante de Deus!

Agora, se você não concebe a igreja adventista como um movimento especial e único, eu lhe perguntaria qual a diferença entre ser ou não membro desse movimento...

Wellington disse...

Qual luz especial ? O evangelho não é o mesmo de sempre ? Paulo não disse que seja amaldiçoado aquele que aparecer com outro evangelho ? A mensagem é a mesma de dois mil anos atrás. Se você tem luz nova provavelmente não veio da fonte certa. Esse mesmo evangelho tem que ser pregado a cada criatura. Não existe luz nova.

douglas reis disse...

Wellington,

você está fazendo algumas confusões. Uma coisa é a revelação divina, outra a forma como é compreendida. E mesmo a revelação é progressiva. Ou você não acredita naquilo que Daniel disse sobre o entendimento se multiplicar nos últimos dias (Dn 12:4)?

Mais ainda: e o que dizer de Apocalipse 14:6-ss? Essa mensagem é para ser dada por todos os cristãos ou representa uma mensagem especial, a ser dada no contexto do fim, por um movimento especial?

Wellington disse...

O anjo "tinha o evangelho eterno". O mesmo evangelho dado por Jesus, nada mais. Jesus mandou pregar esse mesmo evangelho a todos, depois viria o fim. Tudo que for cobrado além desse evangelho é fermento. Não existe povo peculiar de Deus para esta missão específica ou luz nova que você diz. Todos os cristão são discípulos feitos em todas as nações. Não há revelação especial, não há povo específico dentro os cristãos convertidos e batizados e que obedecem a Deus.

"há um só Senhor, uma só fé, um só batismo" (Efésios 4:5).

douglas reis disse...

Wellington,

se for como você diz, temos alguns sérios problemas:

1) Se não há um povo suscitado para pregar no fim dos tempos, então é certo afirmar que não há significado especial no ano de 1844, ou em sua suposta relação com Ap 10 e 14 (como afirmam os adventistas)?

2) Se não há um povo peculiar, então eu posso seguir qualquer igreja, desde que eu creia em Jesus?

3) Se a resposta para 1 e 2 forem positivas, é certo dizer que não motivo para ser adventista do sétimo dia em particular?

Wellington disse...

Douglas:

Resposta 1:

Quando eu comecei a estudar a Bíblia por mim mesmo, somente com ajuda do Espírito Santo, comecei a me surpreender e me frustar com algumas coisas. É duro deixar o orgulho de lado e quebrar convicções a anos alimentadas. Mas Ele é poderoso para quebrar o orgulho também, e nós temos que ser capazes de nos humilhar.

Certa vez alguém me disse:
"Se você ler alguma coisa de Ellen White que esteja em desacordo com o a Bíblia, pode jogar o livro dela no lixo"

Não sou tão radical assim, ela escreveu muitas coisas boas, fique com o "retenha o que é bom", mas a conclusão sobre entrar no lugar santo em 1844 fez muito estrago.
Nesse ponto deixo ela de lado fico com a Bíblia:

"Não por meio de sangue de bodes e novilhos, mas pelo seu próprio sangue, ele entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, e obteve
eterna redenção."
Hebreus 9:12

Jesus rasga o "véu da sua carne" quando é morto na cruz, e entra no Santo dos Santos, e mais, permite que nós também tenhamos acesso a Shekinah.

Quando Jesus sobe ao Céu ele foi ficar à destra de Deus.
Deus está no lugar santíssimo assim como no santuário terrestre.
Nao é atoa que os anjos clamam de dia e de noite: SANTO! SANTO! SANTO!, logo, o trono de Deus NÃO está no lugar Santo e nunca esteve.

Resposta 2:
A igreja são as pessoas. O templo do Espírito Santo somos nós. Deus não habita em tabernáculo feito por mãos humanas.
Deus habita nas pessoas. De toda forma, onde tem duas ou mais pessoas reunidas em nome de Jesus, lá estará Ele, como prometera.
Dá uma olhada ao seu redor, e perceba quantas pessoas convertidas tem na igrejas que não a sua em específico.
Quantas pessoas livre de drogas, pornografia, adultério... Casamentos restaurados e tantas outras restaurações.
Como será que elas foram restauradas ?
Isso é obra de Deus, o novo nascimento continua acontecendo através do "lavar regenerador e renovador do Espírito Santo", e isso não é exclusivo da nossa igreja e Deus não confiou a obra final a Igreja Adventista! Acorda!!!!!!!!! Deus usa qualquer Cristão que se submeta a sua vontade, não há acepção de pessoas. [Rm 2.11] [At 10.34]. Acha mesmo que a pregação final do evangelho serão só pelos adventistas ?

Resposta 3:
Exato, não há motivo para me fechar somente dentro da Igreja Adventista. Pois a minha religião é ser Filho de Deus através Cristo.
Dessa forma congrego com outros irmãos também, dos quais já vou conhecendo de antemão para passarmos a eternidade juntos.

Que Deus tire as escamas dos nossos olhos, e os tampões dos nossos ouvidos, mesmo que isso doa, e vá contra o que achamos e a anos
pensamos. Que ele nos ensine a humildade e nos ensine amar aqueles que foram salvos juntamente conosco sem acepção.
Nos ensine a jamais nos exaltar e achar que somos como Israel antigo, povo escolhido para missão X. Não podemos cair nesse erro.
Que Ele nos ensine a reconhecer o trabalho maravilhoso que outros cristãos estão desenvolvendo em prol da salvação das almas.

Aleluia! Glória ao Senhor! Amém!


douglas reis disse...

Wellington,

como pastor adventista, digo francamente: fico triste ao ler suas respostas. Não triste com sua pessoa - não me entenda mal. Mas triste com o baixo nível de conhecimento teológico e a perda de nossa identidade. Se Deus me desse poder para fazer uma única coisa, eu pediria que fosse reverter essa mentalidade que ganha terreno entre nós. É nessas horas que me sinto muito pequeno...

O que posso lhe dizer? Em poucas linhas:

1) amigo, não leve isso para o lado pessoal, mas descrer do santuário baseando-se em Hb 9:12 é desconhecer a teologia do santuário que a igreja tem pregado - principalmente, nos últimos 30 anos!Prova disso: você já leu algo sobre o ritual de inauguração do santário? Pois aí está a chave para compreender o assunto e desmantelar o estafúrdio argumento que você usou!

2) Lamentavelmente, você desconhece os conceitos de igreja invisível e visível. Para deixar claro: Jesus disse que possuía o seu aprisco, mas havia algumas ovelhas (pessoas sinceras) que não faziam parte deste aprisco (ainda não faziam!)- confira (Jo 10:16). Deus, no Apocalipse, possui um povo distinto (14:6) que sustenta uma mensagem decisiva, relacionada aos mandamentos (14:17; 12:14), especialmente ao sábado (cf Ap 14:7; Ex 20:11). Há diversos paralelos linguísticos enfatizando os dez mandamentos no livro de Apocalipse. Como poderiam todas as igrejas estar cumprindo a grande comissão, pregando o evangelho eterno (Ap 14:6), se elas se opõem deliberadamente à ênfase apocalíptica na obediência?

3) Amigo, sinto muito em lhe dizer isso, mas, falando francamente: por que você não estuda o que sua igreja pensa sobre alguns assuntos de forma mais aprofundada? Com tantos bons livros em português, não há desculpa para desconhecer a posição oficial da igreja sobre assuntos-chave.

Se, todavia, você preferir deliberamente adotar crenças não compatíveis, qual seria a vantagem de continuar se intitulando adventista? Seja honesto para com Deus.

A Igreja Adventista se entende como movimento especial de Deus, com uma mensagem distintiva. Ou isso é verdade ou não. Se for, vale a pena ser adventista e humildemente servir os outros. Se for mentira, deixe esse movimento. Porém, pense, ore, estude e decida.

Do jeito que você está, não será nem bom para a igreja nem para si mesmo. Digo isso com sinceridade e cuidado pastoral. Tive de escrever dessa forma um pouco mais enérgica, o que pode chocá-lo, uma vez que não nos conhecemos pessoalmente. Mas, se estivéssemos face a face, você poderia sentir minha preocupação e como isso me deixa emocionalmente comprometido!

Espero, sinceramente, que você busque a verdade de uma forma mais embasada, porque uma das maiores armas do inimigo das almas é o relativismo em suas mais variadas formas.

Dito de outra forma: É ilógico crer que todas as igrejas cristãs preguem a mesma verdade - e seria falta de confiança em Deus entender que Ele não preservou Sua verdade através de um povo, como fez através do tempo. Pense nisso.

Wellington disse...

Pastor Douglas,

Lendo suas resposta cheguei as seguintes conclusões:

1 - Falou que minha teologia é pobre
2 - Falou que a Igreja Adventista é o aprisco de Cristo na terra.
3 - Falou para sair da Igreja Adventista

Não vi semelhança nas suas palavras com amor que Cristo prega. Só vi defesa de placa muito parecido com que se fazia no tempo de Jesus...

O que eu posso dizer, pois ?

Só lhe digo que tenho buscado muito a Deus nesse últimos meses, com jejuns e oração. A cada dia sou mais incomodado pelo Espírito Santo para ter mais e mais comunhão com Ele e me humilhar perante sua presença e obedecer sua voz. Se é o mesmo Espírito que habita em mim e habita e você Ele há de nos levar a unidade e não a divisão.

Só espero que você como pastor também se humilhe e busque a presença dEle para ser capaz de guiar suas ovelhas.

Não fique bravo comigo.

Deus lhe abençoe.

douglas reis disse...

Wellington,

dizer que sua teologia é pobre não é uma agressão pessoal. Se alguém falasse da pobreza do meu entendimento sobre economia, isso não me abalaria - é a mais pura verdade!

Francamente: evangélicos já debateram comigo no blog, resmungando que escrevo algumas coisas porque sou um pastor adventista. Ora, isso é justamente o que sou!

Mas suas opiniões não são a de alguém que frequenta a igreja adventista. Qualquer bom ancião de igreja poderia lhe explicar os assuntos sobre os quais você discorda da igreja.

Você percebe que não consegue sequer racionar a partir dos textos que mencionei? Por favor, releia o que expus sobre João 10 e Apocalipse 14. Eles vão ao encontro do que você afirmou antes. Estabelecem que Jesus tem um povo exclusivo (apesar de haver pessoas sinceras que seriam atraídas no fim) e caracterizam esse povo. O que você tem a dizer sobre isso? Aguardo sua resposta...

Outra preocupação: você nem expressou curiosidade sobre a explicação para o texto de Hebreus. Você me parece fechado para o que a igreja tem a dizer, como se já tivesse chegado a uma conclusão e ponto final. Seria isso? Se eu lhe explicasse Hebreus 9:12 você estaria disposto a rever sua ideia sobre o santuário?

A respeito de sua alegação sobre sentir que falte amor em minha fala, você provavelmente iguale amar a um sentimento ou forma de conivência. Jesus foi duro com os fariseus (Mt 23), mas não quer dizer que os odiasse. Se você lesse as cartas de Paulo aos irmãos de Corinto, veria que ele é duro justamente porque os ama! Como lhe disse, não o conheço, mas me preocupa essa tendência de abrir mão de pressupostos adventistas.

Não posso concordar com suas ideias, embora lhe dê o direito de acreditar nelas e repeite você como ser humano. Enquanto você me der permissão, gostaria de fazê-lo perceber outras alternativas.

Aproveitando a deixa, acho que você não entendeu o que disse anteriormente: não afirmei que você deveria sair da igreja! Tomara que fique e se envolva com ela. Precisamos cada vez mais de bons adventistas. Que creiam nesse movimento e o representem bem.

Perguntei-lhe, entretanto, se vale permanecer adventista e ter discrepâncias doutrinárias com a igreja. Nesse caso, você teria que tomar uma decisão. Se algué me provasse que estou errado pela Bíblia, eu largaria meu chamado e seguiria minha consciência. Você estranhamente discorda da igreja e continua nela, sem manifestar (aparentemente) o desejo de tentar pelo menos conciliar essas questões.

Você já nem acredita muito nos escritos de EGW, não aceita o cumprimento das 2300 tardes e manhãs em 1844, e vai saber de quantas outras doutrinas discorda... Rapaz, que espécie de adventista é você!? Imagine se eu, como pastor, tomasse café, fosse dispensacionalista e, mesmo assim, pregasse o amor de Jesus por nós? Que espécie de pastor eu seria?

Se de fato o Espírito Santo o incomoda, faça o que recomendei antes: veja se a igreja adventista é, de fato, a remanescente da profecia. Se ela não for, trata-se de uma aberração, uma entidade demoníaca e você não deveria permanecer nela nem por um só segundo. Mas se ela for a igreja da profecia (como eu creio), as suas ideias relativistas e sua forma de ecumenismo soft devem ser abandonadas por uma simples questão de coerência.

A escolha é bem simples. Ser "adventista evangélico" não é uma opção disponível.

Wellington disse...

Pastor,

Obrigado por suas respostas.

Você quer eu comente mesmos esses textos ?

Associar (Jo 10:16) ao aprisco único adventista é tão pobre como associar (Ap 14:7) especificamente a guarda do Sábado.

Muito ingenuidade minha falar contra os princípios base que a Igreja Adventista tem, eu achava que a pedra era Cristo, mas parece que a pedra são interpretações de profecias. Muita ingenuidade minha achar que poderia continuar frequentando a igreja somente porque amo a Deus e tenho fé nesse Jesus.

Por isso que entendo hoje que quem não pode guardar o Sábado, não pode ser batizado. Por isso eu entendo pastores mandando arranjar acetona para limpar as unhas das mulheres que iam cantar na frente.
Engraçado que os gentios na casa de cornélio não precisaram guardar o Sábado para receberem o batismo do Espírito Santo e o bastimo nas águas...

“Ai dos que coam mosquitos e engolem camelos” (MT 23,24)

Vejo, não estou falando contra o mandamento, pois eu o guardo.

Estou falando de botar isso acima da cruz de Cristo.

Quero ver vocês pastores explicarem isso pra Deus.

Por isso nos chamam de seita. A igreja (instituição) é exclusivista, iguais aos testemunhas e os mórmons, os que não concordam que se retirem, pois eu fico com Cristo, com o evangelho puro e simples, no qual o muro que existia entre judeus e gentios foi derrubado, e você querem colocar outro muro. E depois usamos Atos 24:14 para nos orgulharmos.

Eu fico com o ministério do Espírito Santo que guia a toda a verdade, com amor ao próximo e a Deus sobre todas as coisas, e com a adoração à Deus em Espírito em Verdade.

Obrigado pastor, hoje entendi que realmente não faz sentido eu continuar frequentando a Igreja Adventista, porque o que me une a ela não é Cristo, era somente a placa, um conjunto de regras, usos, costumes e interpretações de profecias.

Só lhe digo que busque a Deus com humilhação, súplica e jejum, se despoje da sua função de pastor perante Deus e pergunte pra ele se tudo o que eu escrevi possa ter algum sentido.

Nada mais a dizer, encerro minha participação aqui, pode responder, vou ler, mas não mais comentar.

Fique com Sua Graça e Paz.

douglas reis disse...

Wellington,

minhas observações finais:

1- Se você lesse o livro Teologia do Remanecente, de Angel Manuel Rodriguez, veria que há um ensaio sobre os 10 mandamentos no livro de Apocalipse. O autor do ensaio menciona diversos eruditos bíblicos não-adventistas que veem referências aos dez mandamentos ao longo de todo o apocalipse. Inclusive, alguns também fazem a relação (linguística e temática) entre Ex 20:11 e Ap 14:7. Não é de estranhar que um adventista ache forçada a relação que os estudiosos não-adventistas entendem como natural?

2-Se você estudasse o texto com propriedade, veria que tanto Cornélio como os de sua casa eram "tementes a Deus" (At 10:2). Qualquer bom comentário bíblico explica que esse termo indica que se tratavam de simpatizantes do judaísmo e, provavelmente, frequentassem uma sinagoga com regularidade. Portanto, é de se esperar que tivessem uma compreensão mínima sobre a lei de Deus, embora não haja muitos detalhes no texto bíblico.

3-Adorar "em espírito e verdade" é seguir toda a revelação divina. Inclusive, aquela que diz que Deus tem um remanescente, coisa que sempre fez parte de seu plano ao longo da história. Você se recente de que nós, adventistas, um minúsculo grupo cristão, assumamos a condição de remanescentes e sejamos exclusivistas. Como tão poucos podem ser portadores da verdade? E o que dizer de Noé e sua família, um grupo infinitamente menor, mas que que constituiu o remanescente em uma geração corrupta? Proporcionalmente , pareceria mais improvável que apenas uma família representasse a Deus no mundo inteiro, em contraste com o movimento adventista, que embora pequeno, seja composto de milhões de pessoas! Ser remanescente não tem que ver com quantidade de pessoas e, sim, com identidade. Somente deixaríamos de ser o remanescente se abandonarmos nossa missão. E abandonaríamos nossa missão se nos esquecermos de nossa identidade. Aí a importância de Ap 14:6-ss. O mensageiro de Deus, segundo esse texto, sustenta (no original grego) o evangelho eterno, ele o segura, agarra firmemente contra toda oposição. E esse evangelho eterno se relaciona com a mensagem dos mandamentos. Não é salvação pelos mandamentos (legalismo), mas salvação para cumprir uma missão, a qual molda nossa identidade.

4-Não há dicotomia entre Cristo e sua doutrina. Aquele que diz ser a verdade (Jo 14:6), também afirmou que sua palavra é a verdade (Jo 17:17) e sua doutrina, fundamental para reconhecê-Lo como enviado de Deus (Jo 7:16-17; Mc 1:22; Mt 22:33). Foi Sua doutrina que os apóstolos deveriam anunciar (Mt 28:19) e que manteve a igreja nascente unida (At 2:42). Paulo escreveu contra a infiltração de falsas doutrinas nas igrejas que fundara. Ora Cristo não é o único fundamento? Não bastava que todos cressem nEle, apenas de forma difereciada? Não, por um motivo: o desvio da fé é um desvio do fundamento representado por Jesus.Leia carta de Judas, na qual a fé uma vez dada aos santos (v.3) tem seu componente doutrinário inegável, uma vez que Judas opõe essa fé às falasas doutrinas entrando no seio da igreja.

5-O relativismo em questões doutrinárias, com suposta alegação de abrir mão das doutrinas para buscar apenas a Cristo não faz nenhum sentido. É apenas um ecumenismo soft, incoerente em si. Jesus nos ensinou a amar o diferente, sem abrir mão de lhe transmitir a verdade com carinho Veja o encontro com a mulher samaritana em Jo 4. Há um momento quando Cristo diz que a mulher e seu povo estavam errados doutrinariamente, o que é marca de exclusivismo. Ao memso tempo, Ele também disse que Deus busca adoradores de todos os lugares, o que é marca de inclusão.

Bem, Wellington, era isso o que tinha a lhe dizer. Espero que suas (muitas) confusões se resolvam a partir do momento que você entender que ser adventista é muito mais do que você soube até agora,

fraternalmente

Leidson Rodrigues disse...

a linda de raciocínio do Wellington é bem interessante porém perigosa, pois pra quem é e todo adventista sabe que temos algo especial uma missão que foi dada por DEUS pregar a mensagem de salvação a um muno culpado como diz a Sr. White em Testemunhos Seletos Vol. 3, mas enfim é bem exatamente como o pastor Douglas falou, somos especiais e diferentes entre o mundo, DEUS tem um povo especifico desde Caín e Abel, desde aquela época teve os que seguiam a DEUS verdadeiramente e os que não seguiam, outra verdade que o pastor Douglas falou ai nos comentários foi que realmente há irmãos na fé em Cristo sinceros mas que estão sendo ensinados errados e que agora no final dos tempos esse povo sincero vai vir para o lado de DEUS, que vai ser quando se cumpre Apocalipse 18 quando DEUS faz o convite pro SEU povo "sai dela povo Meu, para não serdes participantes dos seus flagelos", e a matéria acima está muito bem colocada, o pastor Douglas esta de parabéns, é realmente uma questão muito preocupante nesses dias de hoje, irmão em Cristo Wellington, encarecidamente peço a vc que peça a DEUS para clarear sua ente pra verdade, saiba de uma coisa satanás ele tbm é estudante da bíblia, e sabe muito bem como confundir nossas mentes com a própria verdade, pra DEUS é sim sim e não não, se na bíblia DEUS relata que tem um povo específico e dá as características desse povo, me desculpe e estou sendo grosseiro, mas vc já se perguntou "quem sou eu pra dizer o contrário?" portanto filho se DEUS disse que tem, quem somos nos pra dizer o contrário, eu Leidson Rodrigues sou e acredito sim que a Adventista do Sétimo Dia é a igreja verdadeira o remanescente fiel de DEUS, agora se vc não acredita nisso falta-lhe ainda muita luz da verdade de DEUS em sua vida, que a paz do senhor JESUS esteja com todos, abraços!

Manuel Pinto disse...

É evidente que existe o risco de perda de identidade, por abandono dos princípios bíblicos, ou seja, a não prática da sã doutrina. II Tim.4:3
Pretender que a Igreja Adventista se deve tornar mais "evangélica", não faz nenhum sentido.Se caminhássemos nessa direcção, talvez chegássemos ao ponto de dizer que a Lei foi abolida, que a alma é imortal, etc.
Não podemos negar que há perigo no fanatismo. Mas também há perigo no liberalismo.
Não nos falta material (livros, vídeos, palestras de pregadores coerentes, disponíveis na Internet), para resolvermos as nossas dúvidas.
A prática do que está escrito na Bíblia, em Filipenses 4:8, contribuirá para que sejamos crentes responsáveis, equilibrados e coerentes.
Quanto aos nossos irmãos Evangélicos, devemos-lhes todo o respeito.
Temos pontos em comum. Há pontos em que divergimos.
Se houver "ecumenismo", que se tenha a Bíblia como ponto de referência, sabendo que nenhuma parte da Escritura é de particular interpretação.
Nela há pontos difíceis de entender. Não adianta torcê-los. Seria para nossa perdição. II Pedro 3:16

William Fernandes disse...

Artigo muito profundo.

Rafael Reis disse...

Graça e paz do nosso Senhor Jesus Cristo!

Mensagem da parte de Deus para a igreja adventista:

A igreja adventista será transformada, a venda irá cair.

Abondonem o erro pois, o Espírito Santo do Senhor quer habitar em vós!

Vocês ainda não estão vivendo na graça da nova aliança, e continuam entristecendo o Senhor com essa teimosia e falsa doutrina.

Em breve verão as mudanças diz o Senhor.

Rafael Reis.

douglas reis disse...

Rafael Reis,

obrigado por sua interação.

Cabe observar: o que você considera falsa doutrina?

Eu considero falsa doutrina ensinar salvação sem obediência, restringir todo o processo de salvação a uma mera declaração forense de Deus. Salvação é muito mais. Ela traz mudança completa e submissão ao que Cristo nos pede.

Perdão, mas no mundo evangélico não há sólidos alicerces. Por isso, não acredito que sejamos nós que sustentemos falsa doutrina, muito pelo contrário.

Abraços.

Carlos Duque disse...

Pr Douglas,cheguei a tremer ao ler sua mensagem, a cada dia me parece ser DEUS repetindo para Elias,7000 ainda não dobraram seus joelhos.
O Pr Erton disse:" não vendam a identidade de nossa Igreja."

No dia 17/01 , pudemos ler um desabafo do Pr Ivan Saraiva no face do está escrito.

É tempo de reação, de firmarmos novamente nosso norte e pregar sem
medo: ouçamos as palavras de John Huss " Prefiro ofender com verdades , do que matar com mentiras"

Que DEUS o abençoe !

Anônimo disse...

Caro pastor Douglas, acompanho este blog com alguma frequência e admiro não apenas seu estilo como escritor,mas também a forma contundente como escreve. Acompanhei o "debate" que manteve com
Ambos foram incisivos em seus comentários, entretanto, embora o debate seja algo natural e que pode trazer bons proveitos, não
tenho certeza se o resultado final produz "lucros". (creio que está compreendendo o que digo) Será que um debate quando ambos os lados têm posições definidas pode produzir algo de bom? Compactuo com suas posições, no entanto queria considerar o seguinte: No artigo os adventistas são tidos como "o povo remanescente", ou seja, o que restou, o restante. Este termo foi usado para se referir aos "judeus", conforme foi retratado pelos profetas. Os adventistas não estariam utilizando esta referência aos judeus, a si próprios? Creio que os adventistas são os detentores dos oráculos divinos para o tempo do fim, que têm a verdade para o fim; Os judeus também não detinham os oráculos divinos? O que aconteceu a eles? Não correm os adventistas os mesmos riscos que os judeus, no que diz respeito a ter a verdade para os tempos de fim? Sabe, pastor Douglas, sou adventista há quase 60 anos, e questões como esta, tenho visto que tem despertado interrogações em mentes de muitos adventistas como eu. As pessoas podem se "perder", mesmo tendo a verdade? Será que basta ser adventista para ser salvo? Será que não tenho sido arrogante em minhas posições de adventista, como portador da verdade? Será que algum "sincero" ao estudar as escrituras, se tornará necessariamente adventista? Por fim, será que vale a pena um debate para defender "nossas posições"? Um "orgulho" do que somos e temos, significará uma "vantagem" em termos de salvação?
Sou um admirador dos seus escritos, e continuarei a acompanha-lo. Perdoe-me se de alguma forma escrevi impropriedades ou se o contestei pelo simples "prazer" de contestar, o que não é meu objetivo.
Que Deus o abençoe sobremaneira.
fraternalmente, J. Valter

douglas reis disse...

J. Valter,

agradeço-o por dividir suas preocupações.

Na verdade, o remanescente é o termo que aparece em apocalipse (o restante de sua descendência).

Claro que a perda dessa referência trará problemas que, em última instância, implicarão no cumprimento da missão.

Ao mesmo tempo, acredito que Deus ame a todos e salvará os sinceros. Ele também purificará os adventistas pelo processo de sacudidura, refinando Seu povo e avivando os sinceros.

Assim, ser parte do remanescente não é garantia de salvação - temos de preservar até o fim para sermos salvos! A verdade é que importa o que cremos e, por isso, devemos seguir a verdade bíblica de todo o coração.

Um abraço.

Professor Clóvis Geografia disse...

É, eu fico realmente chateado,acho que o pastor Douglas Reis não conseguiu compreender o que o nosso irmãozinho Wellington, que gostei bastante de seus comentários escreveu, mas essa conversa toda teológica,cai por terra quando um pastor fala para seu irmão que não entende o que ele faz sendo membro da igreja Adventista, confesso que tendo por base que Deus é amor e a salvação veio aos gentios através de Jesus,creio que o próprio filho de Deus universalizou essa salvação,e dizer que tal escritora ou escritor deu uma data chave para certos acontecimentos , e que essa escritora não está na bíblia, e trabalha com suposições e com a sua posição individual à certos dogmas,então vejo a doutrina adventista como anti-biblíca, e mais, a bíblia e seus ensinamentos têm que ser vividos e praticados,como diz Tiago, que sejamos praticantes da palavra e não meros ouvintes,

Professor Clóvis Geografia disse...

desculpe ai pastor Douglas Reis, mas a sua atitude quanto ao irmão wellington não é anti-biblíca,mas é anti-cristã,já que cristo mesmo,através de seu exemplo de fé e de humildade,dialogou até com os samaritanos,inimigos históricos do povo judeu na ocasião. E no que diz respeito à biblia, e a terminologia evangélico e protestante, ao longo da história a biblia foi alterada em sua forma e conteúdo pela igreja católica por diversas vezes, e como posso ser protestante se concordo com os livros que a igreja católica nos deixou? E os outros livros escritos pelo povo hebreu que não fazem parte da Bíbila e por que? E os livros chamados apócrifos e por exemplo o livro de Enoque que é citado no novo testamento e que simplesmente foi retirado da bíblia? E que autoridade tem a senhora White para dizer determinadas coisas e afirmá-las como verdade? Eu acho que enquanto se perde tempo discutindo a Bíblia ou teologia, deveríamos fazer mais por nossos irmãos na Terra, amar mais ao próximo sem se preocupar com a placa,como disse o nosso irmão wellington, e eu chamo tanto você pastor de irmão,como ao wellington,pois somos todos irmão perante

Professor Clóvis Geografia disse...

Deus, somos todos vindos de um ancestral comum,e enquanto as pessoas morrem na miséria,nas drogas,na prostituição e vocês perdem tempo discutindo Teologia,eu admiro as igrejas como até mesmo a igreja universal,que apesar dos pesares, fazem um trabalho social sério e levam um pouco de alento para essas pessoas que eu citei, restaura casamentos, restaura vidas,enfim,toda religião tem o cunho da bondade,o DNA desse Deus de amor em seu coração,incluindo-se também a Igreja Adventista do sétimo dia.Confundir o amor de Cristo com o estudo da Teologia é algo que me soa como perda de tempo.Por exemplo,eu já ouvi em um programa da Tv novo tempo não me lembro da boca de qual pastor,mas se não me engano no programa na Mira da Verdade,que Jesus não tranformou água em vinho,mas em suco de uva!!!Rsrsrsrs, então Jesus não fez milagre, tinha um saquinho de Tang sabor uva no bolso!!! Quando Paulo recomenda a Timóteo que ele beba vinho,é vinho mesmo e não suco de uva!! Para mim pastor Douglas Reis isso também é anti-biblíco,pois vai contra a verdade contida nesse livro abençoado!!! E quanto ao sábado e quanto a dieta alimentar!! Acho lindo que não se coma carne de porco,ou camarão por exemplo, mas isso não serve de base de salvação para ninguém!! E Pedro comeu tudo aquilo que desceu para ele em sonho,coisas consideradas imundas pelos Judeus e que lhe foram ofertadas pelo Espírito Santo de Deus! Então se privar de comer carne de porco e camarão também é anti-biblíco!! Vamos nos concentrar em praticar o amor ao próximo, a sinceridade de coração, a caridade e deixar de lado a preocupação com discussão de Teologia, cada um sabe o que é bom para si mesmo se vive em harmonia com Deus,

Professor Clóvis Geografia disse...

eu vejo maravilhas e verdades em todas as religiões e por isso respeito todas, essa discussão só causa decepção e tristeza aos olhos de Deus,que como diz na Bíblia,me adoram em palavras mas não em atos. Se preocupam em discutir Teologia,mas se esquecem do irmão necessitado que mora na casa ao lado!!! Ao invés de discutir Teologia e apontar defeitos na religião alheia, que tal através da oração, da caridade,do amor não viver Cristo, ao invés de discutir uma forma correta de amar a Deus, pois se analisarmos,os muçulmanos radicais também acham que nós iremos para o inferno,pois não professamos o verdadeiro Deus que é Alá e seu verdadeiro profeta que é Maomé! Até quando vão tomar Deus como tolo e tentar racionalizar seu amor por nós em poucas palavras,já que não conseguimos amar como Ele ama e amou,nem em um por cento? Onde estiverem um ou mais de um reunidos em meu Nome estarei entre eles,isso é biblíco! Lembra-se também quando os apóstolos repreenderam aqueles que expulsavam demônios em nome de Jesus e que Jesus disse que eles deixassem,pois se usavam o nome Dele,quem não é contra nós é por nós? Então parem de escolher versículos isolados para se apoiar, por que isso qualquer um faz,não precisa estudar Teologia para isso,mas sejam verdadeiros adoradores de Deus e amem ao próximo como a si mesmos,o que já é quase que humanamente impossível,pois nem todas as coisas foram nos dado o poder de compreende-las,pois quão insondáveis são os seus pensamentos!!! Pratiquem aquilo que Jesus nos deixou como herança maior que foi o amor, independente da fé que vocês professem

Professor Clóvis Geografia disse...

pois não é placa de igreja que vai salvar ninguém,mesmo por que Jesus não era Adventista, Batista, Umbandista, Jesus era Judeu por nascimento, e veio única e simplesmente para servir à deus e cumprir sua vontade,nos trazendo boas-novas e nos reconciliando com o Pai!!! Amém!!! Um abraço Wellington,continue na fé e você também pastor, que Deus te abençoe!!!

douglas reis disse...

Caro Prof. Clóvis,

seja bem-vindo ao blog. Aqui é um espaço de opinião. E, mesmo não concordando de tudo o que se escreve, damos espaço a quem pensa diferente, desde que se expresse educadamente.

Sobre seus largo comentário, destaco os seguintes pontos:

1)Discordância de ideias não é o mesmo que ofensa pessoal. Assim, minha discordância em relação ao Wellintgon não tem teor pessoal - pelo menos, assim eu vejo (e foi de minha intenção);

2) O que está em jogo não é se existem boas pessoas em outras igrejas - sim, há e creio nisso. Conheço algumas. O que se discute é: há um remanescente? Dado que os adventistas apresentam-se como o povo remanescente (e isso mesmo antes de 1850), creio que ser adventista é assumir essa postura (e há boas razões bíblicas para isso);

3) Ser o remanescente não quer dizer que seremos os únicos salvos - o equilíbrio está na atribuição da carta de Laodiceia ao próprio adventismo - ou seja, somos o remanescente, mas estamos mornos. Deus não salvará alguém apenas por se dizer adventista;

4) Se eu chegasse à conclusão de que não somos o remanescente, não seria adventista. E não vejo coerência em fazê-lo. Daí meu comentário ao Wellington - se ele não concorda com a igreja e sequer busca argumentos para defender sua fé, por que continua mantendo tal fé? Isso não faz sentido;

5) Evidentemente, críticas duras não me parecem anti-cristãs, porque mesmo Jesus fez duras críticas (leia Mt 23). A diferença é que ele fazia com o objetivo de salvar - e, definitivamente, você não pode julgar minhas intenções, apenas Deus!

Bem, espero ter esclarecido a razão de ter feito algumas afirmações.

Abraços e estima cristã.

Meu mestre é só Jesus disse...

Há caminho que parece direito ao homem, mas afinal são caminhos de morte. Provérbios 16.25. E é claro que está se referindo a esse tanto de religiões. Não basta ser mais um entre a multidão que segue Jesus é necessário seguir e obedecer a Deus. Desde o início do mundo o povo de Deus é um povo separado.