quinta-feira, 17 de julho de 2008

FALTA DE HONESTIDADE INTELECTUAL ENTRE CRISTÃOS

Jesus, o Mestre moral mais influente da Humanidade, nos ensinou que a mentira provém do diabo (Jo 8). Isto inclui todas as formas de engano: desde o simples logro à falsidade ideológica. Nem a farsa mais banal escapa. Não há mentira branca, porque, aos olhos do Pai, todo engano não passa de uma mancha negra.

Há algumas semanas descobri que um blogueiro cristão vinha reproduzindo os textos postados aqui. Até aí, nenhum mal. Acontece que o cidadão fez, em alguns casos, uso de certas matérias sem creditar ou oferecer um link para o local original em que estavam.

Mais do que depressa, entrei em contato com o indivíduo, pedindo explicações. Por quatro vezes, me ofereci para um diálogo. Disse que não me importava que meus textos fossem republicados, desde que fossem atribuídos a mim, o autor, o que é justo e prática comum entre os blogueiros. O silêncio manteve-se, por quase um mês, como a única resposta...

Quem quer que poste num blog qualquer texto do qual não seja autor, no mínimo estará prevendo que o leitor tomará aquele texto como de sua autoria, pelo fato de não haver indicação de fonte; ou seja, o blogueiro que "importou" o texto passará por seu autor. Ora, isso é desonestidade intelectual, e constitui desrespeito ao verdadeiro autor. Para não falar da possibilidade de se considerar a prática como plágio!

Gostaria imensamente que o referido cidadão, que se apresenta como Hugo Campos Netto, e se define como um cristão que aguarda pela volta de Jesus, repensasse sua conduta: que, ou creditasse os textos que importou, ou os tirasse de seu blog.

Aconselho ainda aos blogueiros cristãos que ficassem atentos ao uso de suas matérias em outros blogs e contextos, que podem, até mesmo, deturpar suas intenções originais. É preciso, como discípulos de um Mestre defensor da Honestidade Absoluta, não tolerarmos nenhuma prática mentirosa, da forma como for, no lugar que for. Inclusive em nossos blogs.

9 comentários:

felipe tonasso disse...

parabéns pelo texto e pelo blog.
recebi teu link de uma amiga e vim fussar por aqui.

depois volto com tempo para ler mais.

abraço irmão.

Denis da Cruz disse...

Eu ja fui plagiado em um conto.

Era um texto um tanto extenso que postei em tres partes num fórum

O plagiador fez a mesma coisa. Copiou não só os textos, mas a mensagem prévia que eu colocava no fórum.

E outra, quando criticavam alguma coisa no texto, ele achava ruim; mandava o leitor fazer melhor, rs

Marily Sales dos Reis disse...

Isso tb já aconteceu comigo, Douglas. Recebi por e-mail um texto que eu mesma havia escrito, mas sob o nome de outra pessoa. Havia inclusive algumas alterações em relação ao texto original. Entrei em contato com o suposto autor e demonstrei minha insatisfação com aquela atitude. Essa pessoa garantiu que não fez por mal e pediu desculpas. Como eu a conheço pessoalmente e como eu estava entre os destinatários da mensagem, acreditei na sua inocência. Mas adverti-a de que o que ela acabara de fazer era plágio. E plágio é desonestidade. Mais ainda: plágio é crime!

Por isso, achei seu texto bem oportuno e relevante. Podemos estar sendo plagiadores sem saber ou vítimas de plagiadores... É preciso tomar cuidado!

CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Salve!

Pelo jeito é meio comum, infelizmente. Um texto de minha autoria apareceu num blog em Portugal. Depois de minhas observações o link foi acrescido.

Sucessos!

douglas reis disse...

Nos comentários da postagem intitulada "O mal", Hugo Campos Neto escreveu o que se segue:

Bom dia, quero me desculpar por colocar seus textos em meu blog, sem dar créditos a sua pessoa, não tive a intenção nenhuma de as pessoas acharem que fui eu que escrevi,porque todas as minhas postagens são de outros blogs, pois a única intenção que tive foi que as pessoas tivessem acesso a Palavra de Deus e propaga-la, longe de mim plagiar vc ou Michelson Borges, Casa Publicadora entre outros. Pensava eu estar fazendo um serviço à Deus divulgando o que diz respeito a como chegar a Salvação,mas se para vc é plágio, me mande as suas postagens que eu coloquei em meu blog que eu te darei todo o crédito ou excluirei, conforme a sua vontade. Quanto a sua medida tomada, será um blog a menos falando da volta de Jesus, mas tudo bem se essa é sua vontade, assim será, agora se for a de Deus....ele não tirará o meu mísero blog do ar. Fique com Deus e que a paz dele esteja com vc e seus familiares.

Respondo a seguir:

Caro Hugo,

Finalmente, você se manifestou! Quero parabenizá-lo pela coragem de se apresentar, depois de tantas tentativas minhas para que conversássemos.

Seria oportuno definirmos as coisas com propriedade. Não sei o que você entende por plágio, mas uma definição simples e direta seria:

"cópia fraudulenta do trabalho de outrem que um autor apresenta como sua." (http://www.priberam.pt/dlpo/definir_resultados.aspx).

Como você vê, deixar de creditar um texto a seu devido autor se encaixa perfeitamente na definição acima.

Não creio que você possa usar do argumento do desconhecimento ("eu não sabia"), uma vez que entrei em contato com você por quatro vezes. E, pelo que pude observar, em algumas de suas postagens, você indicou a fonte das matérias, enquanto em outras o procedimento foi diferente.

Ao mesmo tempo, como já deixei claro na presente postagem, não sou contra a republicação de textos meus, porque republicar faz parte no espírito do blog. Sou contra que usem meus textos sem os devidos créditos.

Até mesmo no caso de adaptações de artigos, como na ocasião em que os editores do site "Música e adoração" pediram a permissão para reproduzir alguns de meus textos, realizando as devidas adaptações, dei meu consentimento sem reservas.

Agora, se você tem usado o texto de outros autores, quer da Casa Publicadora ou do Michelson, seria bom consultá-los.

Principalmente no caso de livros, publicar parte do material sem creditar a fonte ou sem a autorização por parte do autor ou da editora certamente lhe renderá um belo processo....

Agora, quero deixar claro que não pretendo apelar para o caminho judicial, uma vez que penso que você esteja disposto a cooperar: quanto ao que for de minha autoria, credite os textos ao devido autor ou não os publique. Os dois caminhos são válidos. A decisão fica a seu critério.

Lembre-se de que, se anunciamos a volta de Jesus, devemos procurar agir de boa consciência e seguir a norma mais elevada. Deus o abençoe em suas escolhas.

Atenciosamente,

Douglas.

douglas reis disse...

Se a situação já se resolveu?

sim e não; o Hugo me procurou apenas depois da postagem e, pelo texto, pareceu disposto a fazer a coisa certa. Mas não sei se, de fato, todos os post que ele importou já foram acrescidos de um link indicando a fonte ou retirados. Também não tive retorno dele neste sentido....

Anônimo disse...

“Jesus, o Mestre moral mais influente da Humanidade, nos ensinou que a mentira provém do diabo (Jo 8). Isto inclui todas as formas de engano [...]. Não há mentira branca, porque, aos olhos do Pai, todo engano não passa de uma mancha negra.”

Diante de sua colocação tomo a liberdade questioná-lo com a seguinte questão: “É correto mentir a fim de salvar uma vida?” Diante deste questionamento recordo-me de algumas histórias bíblicas, que abrirão caminhos para indagações e acredito que servirão para ampliar o aprendizado.
Obs. Meu objetivo não é colocar em dúvidas o que a Palavra de Deus menciona. É compreender e levar a uma reflexão sobre algumas situações que podem ocorrer em nosso cotidiano.
Se desejar, posso mencionar as histórias bíblicas que apresentam situações perplexas que nos leva a pensar no questionamento acima.
Compreendo que seu artigo objetivou-se para outra direção, mas abriu um leque para o questionamento acima mencionado.
Uma semaninha supimpa e cheia de benção para você!

MiriamPassos

E-mail: miriam_moreninha_@hotmail.com

Quarteto Cantores do Rei disse...

Boa tarde meu irmão !
Peço que retire meu nome desse texto imediatamente, já que não tenho mais blog e no momento em que me pediu, me desculpei e retirei a matéria em questão. Nunca tive a mínima intenção de levar créditos de nada, já que minha intenção era levar avante a mensagem de Cristo.

Retire imediatamente, pois senão o fizer, entrarei com as medidas cabíveis contra essa injúria.

Sem mais !

douglas reis disse...

Boa tarde, Hugo.
Injúria, por lei, é definido como algo que atenta contra o bom nome e boa fama da pessoa. É um crime contra a reputação, bem próximo da calúnia. No caso, o registro do blog alude a algo que você fez, sendo impossível que haja um processo judicial por injúria - a não ser que você comprovasse que não fez o que a postagem lhe acusa de ter feito. Portanto, sua terminologia está equivocada.
No entanto, entendo que você, por pressão ou consciência, acabou colaborando, o que foi muito sábio de sua parte. Assim, posso considerar seu pedido.
Agora, por gentileza, não tente inverter as coisas, uma vez que não penso ser propriamente um crime manter a postagem, enquanto reproduzi-la sem as devidas vênias foi, sem dúvida alguma, um crime! As duas coisas não possuem a mesma equivalência judicial, entende? Ocorre que, por consideração, posso rever a postagem, apenas por questão de necessário. Eu me explico: como mencionei, devido à sua colaboração e consequente resolução do problema, de fato, não seria necessário manter a postagem. Agora, você pode alegar isso, que seja desnecessário manter o texto aqui, mas não que seja crime passível de processo! Seria até ridículo você levar o caso a juri (isso além de muito mais desnecessário!).