quarta-feira, 29 de julho de 2009

SOBRE TRAVESSEIROS E SEXUALIDADE

Um conselho, tio: queime as fronhas e vá para algum parque conversar com uma mulher de verdade!

É de se arrepiar. Quando li a matéria "O amor entre um japonês e um travesseiro" no blog Mulher 7X7, mal acreditei. A autora, Maria Laura Neves, comenta o caso de Nissan, um japonês quase quarentão, apaixonada por fronhas da personagem Nemu, carinhosamente chamada pelo "coroa" de Nemutan - como explica Maria Laura, o "tan" quer dizer "amorzinho" ou "querida". Pior: isto não é raro na terra do sol nascente. Marmanjos são vistos comprando fronhas de personagens e alguns até mantêm relaxões sexuais (!) com seus travesseiros. Eles as tratam como parceiras reais e até saem para passear com elas.

Sei que o adjetivo adquiriu um "ar" adolescente e, por isso, ficou degastado; mas sou obrigado a dizer que isto é sinistro! Não posso imaginar até onde isto nos levará. Eu me refiro à impessoalidade de uma cultura na qual o único deus é o progresso. As pessoas não se relacionam mais saudavelmente. Por conta disto, a indústria da pornografia continua faturando. E os feitiços não deixam de ser cultuados (sei que tem se usado o termo "feitiche"; mas sigo neste aspecto Olavo Bilac, que já notou em seu tempo a impropriedade de importarmos uma palavra do Francês, sendo que esta nasceu do termo português "feitiço").

Paulo, valendo-se de uma linguagem um tanto pitoresca, diz que o abandono da cosmovisão teísta resulta na distorção da sexualidade: "[...] também os homens, deixando o uso natural da mulher, inflamaram-se em sua sexualidade [...]" (Rm. 1:27). Entenda bem: o apóstolo não escreveu para ensinar que a mulher seja um objeto a ser usado. Com uma linguagem diferente da moderna, ele chama a tenção para o fato de que é natural que a sexualidade humana se expresse entre pessoas reais de sexos opostos. É claro que travesseiros não fazem parte da sexualidade idealizada por Deus para a família humana!

9 comentários:

Patrícia Schettert disse...

Confesso que fiquei abismada com essa informação. Os homens acabam desvalorizando a si mesmos e as mulheres. A humaninade, atualmente, tem se rebaixado a tal ponto que chega a ser nojento.

gataa.2004 disse...

É realmente ridículo o nível em que a humanidade está chegando. É aterrorizador imaginar situações como essas que cada vez são mais comuns, indo diretamente contra os princípios biblicos, éticos e morais. Isso só nos mostra que a vinda de Cristo está cada vez mais próxima.

gataa.2004 disse...

É realmente ridículo o nível em que a humanidade está chegando. É aterrorizador imaginar situações como essas que cada vez são mais comuns, indo diretamente contra os princípios biblicos, éticos e morais. Isso só nos mostra que a vinda de Cristo está cada vez mais próxima.
Jéssica C.

Anônimo disse...

Mariele: Alguém sabe onde esse mundo vai parar? Ou o que essas pessoas têm na cabeça? Eu sinto vergonha por elas, tenho que confessar. Acho totalmente constrangedor uma cena assim, pior ainda admitirem e acharem que estão certas! Será que elas se orgulham disso? Não sei exatamente o que penso sobre isso... é ridículo, é inútil, é constrangedor, é hilário! Mas eu gostaria mesmo era de saber o que Deus pensa sobre isso.

Anônimo disse...

Com a evolução da tecnologia, principalmente nesta parte do mundo,as pessoas acabam esquecendo do contato face a face, o tão bom calor humano, e, por isso, acabam jogando sua frustações no que lhes completa. No caso desse pobre homem (uso aqui o termo "pobre homem", pois tenho pena de pessoas assim, com certeza, devem ter algum problema psicológico), usa a fronha como ponto de fuga.
Naylla Kilim.

Anônimo disse...

Quando o professor começou a falar sobre esse assunto na sala, achei que era uma brincadeira ou algo assim... Mas é verdade! Ridículo e nojento, mas real. Acho que isso é um ótimo exemplo de como as pessoas se comportam quando não tem Deus no coração, ficam sem limites para suas loucuras e nunca sabemos como ou aonde vai acabar. Graças a Deus não tem isso aqui, ainda.

Camilla Ronsani

Anônimo disse...

Horrível e como já foi dito,nojento! Como as pessoas tem tanta coragem de andar abraçadas com um travesseiro?! E considerar sua namorada?! Imoralidade total, é isso que o mundo vai virar.

Lara

Leo disse...

Jamais se conhecerão os limites da psique humana e, por ter limites tão indefinidos, a mente é território fértil para toda a sorte de atos. O caso de Nissan mostra claramente que com o desenvolvimento enlouquecido da tecnologia, a sociedade tende a ser cada vez mais individualista. A tecnologia vem abolindo o uso da palavra falada e das relações cara-a-cara. Não cabe a mim e nem a ninguém julgar a atitude de Nissan, nunca saberemos quem é o louco de verdade (vide O Alienista). E é como diz Caetano Veloso: "De perto ninguém é normal."
Leodoro.

Jaque disse...

Realmente, com tantas coisas absurdas nesse mundo ainda consigo me surpreender com atitudes como essa!!! Com certeza a culpa disso é a falta de Deus. É colocar-se em primeiro plano. No centro da nossa vida. Mas não é bem assim. Deus é o centro. Cristo é o centro.
Isso é um exemplo claro do egocentrismo humano. Pensar apenas em si e no prazer próprio. O relacionamento é uma bênção de Deus. E deve ser feita entre um homem e uma mulher. E essa falta de Deus, de comunhão com Ele, provoca solidão. O que provoca esse distúrbio. Pois se não conseguimos nos relacionar com Deus, como poderíamos ter uma boa relação com outras pessoas?!?