quarta-feira, 23 de maio de 2007

INFLUÊNCIA DA BÍBLIA SOBRE NOSSA LÍNGUA



A etimologia de “Babel”


1 O texto de Gênesis 11.7 explica com o uso do vocábulo “balal” a confusão, mistura e transtorno da linguagem única do povo que queria construir uma torre que alcançasse os céus.


2 A palavra tem significado religioso. Os deuses dos construtores feriam o monoteísmo dos hebreus. As inscrições antigas com características do dialeto do cananeu vulgar com sinais interpretados por Gardiner, escreviam “baalat”, sendo confirmado por Willian Albright em confronto com achados de novas escavações. O termo “Baal” (deus, senhor) provavelmente é mais antigo que “Babel”. O zigurate “Etemenanki”, a “Pedra Fundamental do Céu e da Terra“, considerada a torre de Babilônia mencionada na Bíblia, era cercada por um muro onde se apoiavam diversas construções relacionadas com o culto. Devemos ao viajante grego Herótodo e a Ctésias, médico da câmara de Artaxerxes II, as descrições mais detalhadas de Babilônia confirmadas por escavações do arqueólogo alemão Robert Koldewey (Das wiedererstehende Babylon –1925 – em referência bibliográfica 11). Ele desenterrou apenas a gigantesca base e as inscrições provaram que a torre existira e que já devia ter desaparecido nos tempos de Hamurabi. Mas ela foi reconstruída por Nabupolassar que escreveu: “Naquele tempo, Marduk ordenou que se construísse a Torre de Babel, que tinha enfraquecido e desmoronado em tempos anteriores a mim, que assentasse os seus alicerces no seio do mundo subterrâneo e erguesse o seu cume procurando alcançar o céu.” E Nabucodonosor, seu filho, prossegue: “Para erguer o cume de Etemenanki de modo que rivalizasse com o céu, eu pus a minha mão.” Heródoto descreve oito torres sobrepostas. Só a base media noventa metros de largura e noventa metros de altura. Cada cidade babilônica tinha o seu zigurate, mas nenhum se compara à “torre de Babel” que foi obra de escravos e usou por volta de oitenta e cinco milhões de tijolos. Era santuário do povo, objeto de romaria de milhares que veneravam Marduk (Bel) como deus soberano.

3 O árabe vulgar clássico “bâb-al-bá-qara”, “porta das vacas”, é formado por “bâb”, porta, “báqar”, um coletivo de bois e vacas, ou “báqara”, vaca. No português, barbacana ou barbacã, define uma avançada fortificação destinada a proteger pontos estratégicos de uma muralha. A barbacana na verdade protegia um recinto intermediário entre essa fortificação e a muralha principal, onde os sitiados guardavam o gado que os sustentava com carne. “Balbacara” mudou para barbacana por influencia de “albarrana”, torre rodeada pelo recinto dos bois. O aramaico adotou “bavah” para porta, os babilônios a definiram como “bab” de “bab-ilu”, e nomearam Marduk como “Bel”, isto é, senhor, deus, e “Babel” a “Porta de deus” um acesso para os céus.

4 A palavra baba (do árabe baba), define a mucosidade que sai da boca dos bebês que começam a falar os primeiros monossílabos. Faz parte da linguagem infantil misturado com o balbucio. É palavra comum em muitas línguas (espanhol babeo,italiano bava, francês bave).A repetição da sílaba labial, num sentido figurado, simboliza a idéia imatura da civilização primitiva em alcançar os céus com uma torre, talvez uma referência irônica de D’s à sua “força”.


Gláucia Vilela


Nota:

O artigo relaciona ainda palavras de Língua Portugêsa que derivam da palavra Babel (e outros termos correlatos em hebraico). Listamos a seguir o conteúdo de forma resumida (desprezando as definições em caso de palavras cujo significado julgamos ser bem conhecidos e mantendo as indicações da autora original nos demais casos):
Barbacana = avançada fortificação que vai defender os pontos estratégicos de uma muralha

Baba

Balbucio

Babelismo = ocorrência de várias línguas

Babaré = alarido, confusão

Corre o badalo = dar com a língua nos dentes

Badajear = falar muito, a língua

Baderna

Bagaceira = palavreado sem idéia

Balar (XVII) = dar balidos, dizer absurdos

Bátil = no árabe, inútil, vão, que não tem cartas no naipe.

Batologia = (do latim battologia e do grego bato) repetição desnecessária de um pensamento pelas mesmas palavras.

Blaterar = (XX do latim blaterare) falar muito, tagarelar.

Borborismo = ruído surdo dos intestinos causado pelo movimento dos gases.

Burburinho

Rebuliço

Borbulhar

Barba = pelos movimentos que a barba executa em quem gagueja e pela analogia de sons.

Babasque = tolo

Um comentário:

Gláucia Vilela disse...

Fiquei espantada(e feliz)com a citação. Um grande abraço, da nova amiga Gláucia Vilela