quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

MODELOS DE SUCESSO: A EXPERIÊNCIA DE JOSÉ


Pais matriculam seus filhos nos melhores colégios tentando garantir-lhes um futuro de sucesso. Cursos de pós-gradução e estágios em empresas conceituadas também se constituem em estratégias para o sucesso profissional. Os homens "capricham na produção", com o fito de terem sucesso em conquistar a "mulher de seus sonhos". Um comercial de carros diz sobre certo modelo: "quem tem, fez por merecer". A busca pelo sucesso é o objetivo de vida da maioria das pessoas, o que nos faz parar para refletir: o que é esse sucesso o qual todos querem atingir?

Esta é uma pergunta essencial, principalmente para quem estiver começando uma carreira, iniciando uma família ou até diante de várias opções para crescimento acadêmico ou profissional. Isso deve ter passado pela sua cabeça em algum momento: sucesso, como alcançá-lo?

Uma definição pragmática e simplificada caberia na frase "se dar bem na vida". Mas isto não é satisfatório (além de nada específico). O "se dar bem" inclui relacionamentos estáveis e equilibrados ou uma vida profissional ascendente? Sucesso é gozar os prazeres, "curtindo" os bons momentos? Saber o que, de fato, inclui-se no bojo do sucesso nos ajuda a delimitá-lo, dando-lhe uma dimensão concreta e tangível. Afinal, se alguém conceber o sucesso como, por exemplo, fazer um passeio a bordo de um ônibus espacial pelas luas de Saturno, todos teríamos de concordar que o sucesso é um sonho impossível! Felizmente, o verdadeiro sucesso lida com coisas mais ao nível do homem comum.

A Bíblia tem um conceito peculiar de sucesso. Ao invés de abordar exaustivamente o que a Palavra de Deus ensina sobre o assunto, quero considerar a experiência de alguém que teve êxito. Ao comando de sua voz, cavalos eram preparados, portas abertas e o séquito real lhe fazia companhia. Multidões acenavam e se inclinavam, acompanhando com olhares respeitosos e agradecidos o seu cortejo. Carisma? Sim, ele era alguém que esbanjava carisma. Sua influência político-administrativa ultrapassou os limites do território egípcio, para se tornar uma referência internacional. Sua personalidade forjada em meio às dificuldades lhe conferia uma visão bem humana, imbuída de altos conceitos de justiça. Estou me referindo a José.

Considere atentamente alguns modelos de sucesso com os quais José se deparou ao longo de sua vida, desde a infância, passada em convívio com um clã de nômades monoteístas, à maturidade, como estadista da maior nação politeísta da época. Sugiro os seguintes modelos:

1. Semi-Nepotismo: Sem dúvida, a estrutura familiar colabora na concretização do sucesso. Em não raros casos, porém, há indivíduos que se beneficiam de graus de parentesco para alcançarem status e posições, ou favorecer familiares (Brasília que o diga!). Em seus primeiros anos, José se viu grandemente agraciado pela predileção que seu pai tinha por ele. As Escrituras mostram que Jacó presenteou José com uma túnica longa, insígnia usada pelos chefes tribais (Gn. 37:9). Claro que os conflitos não tardaram a sugir e os irmãos de José, invejando-o, acabaram vendendo o menino a uma caravana de ismaelitas. José logo percebeu quão instáveis podem ser as relações familiares quando intrigas, favoritismo e poder estão envolvidos...

2. Administração pró-ativa: Vendido como escravo a Potifar, "capitão da guarda" de Faraó, a vida de José deu outra guinada. Em sua nova ocupação, jovem se destacou, passando logo a cuidar de todos os assuntos para seu senhor (Gn. 39:6). Tudo teria corrido a mil maravilhas, exceto pelo fato de existir o que Camões chama de "desconcerto do mundo": não acontecem coisas boas para os bons a todo tempo, da mesma forma como não acontecem apenas coisas más com os maus. Mesmo o mais produtivo e eficaz funcionário não fica incólume a injustiças. No caso específico de José, a despeito de sua conduta moral irrepreensível e sua postura empreendedora, ele foi vítima de um golpe cruel do destino!

3. Vida de satisfação sensual: A busca pelo sucesso sensorial é um dos mais concorridos empreendimentos do século XXI. O prazer sexual garante satisfação imediata, embora não duradoura. José se viu diante desta opção quando a esposa de Potifar passou a cobiçá-lo. Uma vez armada a arapuca, o escravo hebreu ficou sozinho com sua senhora e com seus próprios hormônios (Gn. 39:12), em um tipo de situação no qual muitos homens não pensariam duas vezes antes de aceitar a oferta feminina. Entretanto, José recusou-se a trair sua consciência, entendendo que desagradaria a Deus caso consentisse em deitar-se com a mulher de Potifar. Isto lhe assegurou uma boa acusação por parte de uma sedutora melindrada e alguns anos de reclusão em alguma penitenciária egípcia.

Parece ilógico falar de sucesso a partir deste ponto, já que temos claros indicativos de que José experimentou um vertiginoso fracasso: de filho mimado a escravo, de escravo a prisioneiro. Esta trajetória descendente não se parece com o sonho de nenhum executivo. No entanto, apesar de dolorosos revezes, José era alguém de sucesso. Posso afirmar isto porque a Bíblia se utiliza da narrativa desta personagem para nos ensinar o que é o sucesso. O que o homem real chamado José experimentou não é um conto-de-fadas ou algo que coubesse nestes livros com fórmulas prontas ("10 passos para uma carreira de sucesso", "Seja um vencedor sempre no topo", ou coisas do gênero). Podemos, nestas alturas, falar do quarto modelo de sucesso:

4.Sucesso como um fenômeno espiritual: Inserida no relato lúgubre da prisão de José, a sentença é curta, mas significativa: "[...] porque o Senhor estava com José [...]" Gn. 39:23. Lucrando ou sofrendo, servindo ou sendo acusado, compenetrado ou saudoso, ascendendo ou injustiçado, José era o mesmo, porque, acima de tudo, sua devoção era o mote de suas ações. Ao sair de casa, vendido pelos próprios irmãos, José teve de aprender cedo que só poderia contar com Deus. Fazendo de Jeová, o Deus de seus antepassados, seu apoio, José sabia que doravante todas as circunstâncias seriam dirigidas de forma a trazer algum crescimento para ele e seu povo, segundo a vontade de Deus. José mesmo reconheceu isto por três vezes, no emocionante diálogo em que se revelou a seus irmãos anos mais tarde (Gn. 45:5, 7 e 8).

O que é sucesso? É seguir a vontade divina, esperando em Deus quanto aos resultados. As circunstâncias deixam a ribalta e a direção geral da vida passa a atrair as atenções. Não os resultados, mas quem está nos dirigindo se torna a fonte de toda preocupação. Só se pode falar de sucesso quando Deus controla o nosso coração, como aconteceu com José.


leia também:

Integridade não circunstancial
Os outros são meus degraus

A ambição

22 comentários:

Lídia Cunha disse...

Douglas,
Parabéns pelo belo texto...como sempre inteligente, sensato, objetivo e claro! Que Deus continue te abençoando. A conclusão do texto de hoje me faz lembrar muito de uns versos... “Agrada-Te do Senhor e ele satisfará o desejo do teu coração” ou “ Buscai primeiro o reino de Deus e toda sua justiça todas as coisa vos serão acrescentadas” entre outro.

Continue assim!!!

Anônimo disse...

Questão de Confiança
Modelos de sucesso a experiência de José
Sucesso é quando uma pessoa faz uma coisa muito interessante e todos acham muito legal.
O sucesso pode vir a qualquer momento, mesmo após um fracasso, como ocorreu com José: que era o filho favorito, foi vendido pelos irmãos, foi escravo, prisioneiro e depois tornou-se governador.
Atingiremos o nosso sucesso fazendo como José, que amou e perdoou todos os seus irmãos, sempre obedecendo a Deus e mostrando seu amor por ele.
Aluno: Annibal
Serie: 6º ano A

Anônimo disse...

Querido professor Douglas,esse modelo sobre a experiência de José,é muito triste no começo,pois irmãos maltratando algum irmão por inveja,é muita maldade.Mas,depois a história ficou bem melhor,José virou faraó,e depois de tudo o que aconteceu com ele,ele ainda perdoou seus irmãos.Isso sim é bonito e faz a gente pensar sobre a confiança e o perdão,obrigada.
Aluna:Beatriz C.
Ano:6º ano

Anônimo disse...

Pastor Douglas, essa Historia ensina que não devemos ter inveja, nem algo assim... essa historia, O começo é um drama, mas no fim, vira de drama para emoção,felicidade, parece até aquelas estórias de contos de fada! No começo é ruim , mas no fim já vira bom demais... Tipo cinderela, só que o fato é, essa historia É real, já essas de “princesa e príncipe” não são... Nessa historia, podemos ver que Deus sempre estará com você, e ele ira te acudir,nos momentos ruins, ele ira cuidar para que nada estrague sua felicidade, nos momentos bons, Só que tudo isso, se você tiver fé,ser amigo(a) de Deus! Como nesta historia, José sempre foi judiado pelos irmãos, até que foi vendido... Mas ele nunca deixou de ter fé em Deus, e Deus o abençoo, fazendo que José virasse faraó, e mesmo com tudo aquilo que aconteceu, com os irmãos judiando dele, ele os perdoou.
Aluno: Roberta
Ano: 6 ano B

Anônimo disse...

NOSSA È MUITO LEGAL ELE ENSINA MUITA COISA SÒ QUE EU VOU FALAR SÒ UMA TÀ PASTOR DOUGLAS È QUE ELE LEMBRA SOBRE FRAZES MUITOS CONHECIDAS COMO A LIDIA FALOU MÀS A QUE MAIS ME LEMBROUFOI ESSA "BUSCAI PRIMEIRO O REI NO DE DEUS E TODA SUA JUSTICA TODAS AS COISA VOS SERÃO ACRESCENTADAS" EU GOSTEI MUITO DA HISTORIA ALUNA:LETÌCIA

SÈRIE:6ANO A

TEXTO:MODELOS DE SUCESSO A EXPERIENCIA DE JOSÈ"

Anônimo disse...

Pastor Douglas essa história é no começo meio triste mas no fim tudo acaba bem. Aprendi e espero que muitos aprenderam que não se deve ser invejoso e muito menos traidor e mentiroso.
Essa história ensina muito, de uma maneira divertida e dramática.
Eu, especialmente aprendi muito com essa história dramática e interessante.
Aprendi que é sempre bom seguir o caminho de Deus igual a José.

Milena 6 ano vespertino.

anieely_figueredo disse...

Pastor Douglas. Achei muito interessante esse texto, pois nos faz ver que por causa da inveja e do ciúme de seus irmãos José sofreu muito. Ele era o filho favorito do seu pai Jacó, por ser o mais novo e também ser filho de Raquel, sua amada. Isso desencadeou muita raiva em seus irmãos, fazendo com que ele fosse vendido e escravizado, mas muito fiel a Deus em todas as oras difíceis de sua vida fez com que Deus sempre o abençoasse. Mais tarde... virou um grande Governador , colocando a prova a honestidade de seus irmãos. Conhecer seu irmão Beijamim trouxe uma grande emoção e alegria em sua vida. Essa história tem um começo triste, pois podemos observar que até as pessoas mais próximas, a qual confiamos cegamente pode nos trair, mas também nos mostra que Deus está acima de todas as coisas e que podemos confiar muito nele .
A lição que nos mostra essa história é a pura verdade que não podemos ter inveja ou ciúmes de alguém, e sempre perdoar os outros.
Parabéns Pastor pelo belo texto.
Aluna: Giulia
Série: 6°ano B

Anônimo disse...

Olá professor

Gostei muito do blog e também do relato que fez sobre José!
Acho que você deve continuar escrevendo seus livros e também postando em seu blog.

Paola R.G.Santos - 6° ano A

Anônimo disse...

Professor Douglas,muito interessante esse texto O sucesso é uma coisa que todos vão ter um dia! muito legal a prender sobre isso!!

Nome: Emanuelle Cidral Pires

Serie: 6 Ano- A

Adorei!!!

Anônimo disse...

josé, sem dúvida, era o preferido do pai,o pai gostava tanto mas tanto de José que o pai chegou a dar uma túnica linda e colorida para ele.Os irmãos dele ficaram com tanto ciúme de josé que venderam ele para ser escravo de potfar que era capitão da guarda de faraó.Potifar confiava tanto em josé que falou para ele cuidar de todos o seus assuntos,potifar tinha uma mulher que um dia armou uma arapuca para josé.só estava josé e á mulher de potifar ficaram sozinhos em casa,josé recusou trair á Deus,potifar e sua consiênçia.Más a mulher de Potifar não deichou barato enventou uma boa acusação que jogou José em uma penitenciária egípcia.Vendido pelo próprios irmãos José aprendeu que só pode confiar em Deus.abraço prof douglas by Bruna assis mixeski

maria eduarda 6 A disse...

eu achei um masimo gostei bastate os irmaos de jose parese ate comigo porque eu tambem era assim com os meus irmaos.
claro que nos nao presisa ser mintiroso e injejosos nos tem que amar o nosso irmaos nao devemos fazer o que os irmaos de jose fez devemos amar um ao os outros.
vc e muito legal professor que deus te abeçoe ate o fim

Anônimo disse...

Pastor Douglas,esse texto é um texto muito legal,que me ensinou uma coisa,que sempre podemos crescer na vida,é só ter muita fé em Deus,como José,que foi rejeitado por todos seus irmãos,foi vendido ao faraó,foi preso inocente,e depois ainda virou governador.Essa é uma história meio triste no começo,más ela melhora no final.: )

nome:Arthuro J.A.Serres
série:5ªsérie 6ºano

Anônimo disse...

O sucesso pode vir a qualquer momento, mesmo após um fracasso, como ocorreu com José: que era o filho favorito, foi vendido pelos irmãos, foi escravo, prisioneiro e depois tornou-se governador.

Aluno:Victor Rocha Corrêa

Turma:6° ano

Anônimo disse...

olá professor
gostei muito do texto ele me encinou muitas coisas sobre josé
e me encinou também para mim coisas novas, agora eu sei tudo sobre josé muito legal professor.



UM BEIJO!!
Aline D. Hostin
6 ANO A

Anônimo disse...

Ter fé em Deus e seguir o que Ele ensina nos levará sempre ao sucesso , mesmo que as vezes isto pareça impossível.Gostei muito do Blog.Deus te abençoue para sempre Professor Douglas.

Anônimo disse...

Professor, essa historia é muito legal.Ela nos ensina que devemos sempre amar o proximo,não devemos ter ciúmes,inveja e não devemos fazer como os irmãos de José fizeram.E que devemos ser fiél a Deus como José era, pois mesmo em suas dificuldades ele acreditava em Deus,depois de ser jogado no poço,depois de ser vendido para uma caravana de israelitas e virar escravo.Por isso que tudo que ele fazia dava certo pois ele tinha fé em Deus.Nós devemos a Deus nossa vida portanto não devemos deixar de acreditar em Deus se quando você diz que se Deus existe que ele apareça na nossa frente e, se ele não aparece é porque certos acontecimentos não acontecem antes da hora .Professor que Deus te proteja e te abençoe até o fim. bjs sua aluna.

NOME:ketlyn Helen Mairinque.
ANO:6º ano A

Anônimo disse...

Olá professor a história de José comessa meio triste porque ele era o filho favorito do seu pai Jacó.
Então teve um sonho falou para os seus irmãos e os irmãos apelidaram ele de sonhador então os irmãos com siumes por varias coisas uma delas é que o pai de José deu uma tunica para ele e essa tunica era muito cara e só pessoas importamtes usavam essa tunica.
Então eles venderam o irmão para o rei faraó e trabalhou como escravo e faraó obiservou ele e viu que era um bom escravo então resolvel dar um cargo maior o comandante dos priseoneiros e dos escravos.
Passou um tempo a mulher de faraó foi sedusilo e ele saio correndo.
A esosa de faraó falou caisas má de José então ele foi preso.
passou um tempo ele desvendou sonhos e ficou o cara mais inportante depois de faraó.
E seus irmãos foram la porque eles presisavam comprar comida e José armou varias coisas com amor então ele perdoou os irmãos.
Então profesor gostou esse foi o scesso de José.

Nome: Tiago de Costa Fuckner

série:6 ano B

Anônimo disse...

Professor Douglas!
amei a historia!foi muito legal aprender mais um pouco sobre José,é minha historia favorita da biblia,por isso adorei o texto.
é muito bonito ver como José perdoou seus irmãos depois de tudo o que fizeram contra ele.
você é um ótimo escritor!
adoro você!
continue sempre assim!
ALUNA:QUEZIA
SERIE:6 ANO B

Anônimo disse...

O que aprendi com José é que o sucesso vem a qualquer hora,José ÉRA O FILHO PREFERIDO E DERREPENE estava num posso. Mas Professor pra mim o verdadeiro sucesso é ser um homem honesto de bem com a sociedade e ter deus no coração acima de tudo............e filhos no caminho de deus.
WESLEI ALMEIDA DOS SANTOS 6 ANO A

Anônimo disse...

OI EU ACHO UMA BARBARIDADE COM QUE OS IRMÃOS DE José FIZERES COM ELE NEM SEI COMO O José DE PERDÃO!!!
MEU NOME: JOÃO VITOR
SERIE: 6°ANO.B

Anônimo disse...

Pastor Douglas,
Achei bem legal o texto, pois mostra que mesmo sendo humilhado, e no caso de José, vendido, é possível perdoar e dar uma segunda chance a quem nos faz algum tipo de mau.
aluno: Gustavo k.
série: 6ºB

Alexandre disse...

Eu não achei certo eles terem jogado José no poço e depois vendido ele.
E achei bem legal ele ter dado a volta por cima e ainda perdoado seus irmãos.

Aluno: João Gabriel
6º Ano