domingo, 2 de novembro de 2008

LUANA PIOVANI: CRIADA NA "SEVERA IGREJA", COM FÉ NO "AMIGO INVISÍVEL"



Dinesh D’Souza fala de alguns cristãos que escolheram a “solução mais fácil”, a de viver “de acordo com o evangelho das duas verdades”: durante a semana, curvam-se à “verdade secular”, enquanto reservam a “verdade religiosa” para os dias de culto.[1] Para muitas pessoas no Ocidente capitalista e secularizado, é mais cômodo levarem sua vida como se acreditar ou não em Deus não fizesse a menor importância – o que o mesmo autor chama de “ateísmo prático”.[2] Isto é tão comum em nossos dias que abundam exemplos de pessoas que professam crer em Deus, enquanto vivem em desacordo com as verdades bíblicas. O caso mais recente é o da conhecida atriz Luana Piovani.
Presente nas manchetes de vários jornais e revistas, devido ao fim do turbulento noivado com o ator Dado Dolabela, Luana Piovani apareceu em uma entrevista na revista Época desta semana. A separação do casal se deu em virtude da crise de ciumeira de Dado, culminando na agressão do ator contra a ex-noiva e sua camareira. Falando sobre a desinibida atriz, que estreou o monólogo “Pássaro da Noite” (na qual ela chega a fazer topless), a matéria comenta o fato de que, sendo “adventista do sétimo dia”, Luana teria antes de se estrear na peça, falado “antes com Deus, a quem chama de seu ‘amigo invisível’”.[3]
Seria de fato Luana Piovani um membro da denominação Adventista do Sétimo Dia? Aparentemente, não mais. A bem da verdade, uma reportagem mais antiga nos fornece indícios para pensarmos que Luana havia sido adventista. Ressaltando o fato de que Luana Piovani seria uma mulher convencional em suas paixões e gostos, tendo o diferencial de assumir isso com “gana”, a revista Veja contrastava esta disposição da atriz com a infância da moça, “criada na severa Igreja Adventista do Sétimo dia”. A reportagem, publicada em 2003, trazia no subtítulo “a estrela pós-moderna”[4], referência adequada ao comportamento de Luana Piovani. O que se pode inferir é que a atriz fora adventista talvez na primeira infância. Talvez, atualmente, a moça apenas se considere “de coração” ligada à denominação.
Seja como for, o caso tipifica a realidade de inúmeros cristãos, que, embora testemunhem de sua fé nos registros do IBGE, não vivem uma prática religiosa consistente com suas afirmações. Precisamos ser vitoriosos como cristãos em todo ambiente em que nos envolvermos. Somente através de uma comunhão ininterrupta com Deus por meio da Palavra teremos condições de praticar um Cristianismo genuíno – aquele que consiste no Evangelho de uma só Verdade.

Um agradecimento especial a Felipe Lemos (do blogAlinhar à direita Realidade em Foco) e à Noribel Reis, minha esposa, ambos por colaborarem.

Leia também:

[1] Dinesh D’Souza, A verdade sobre o Cristianismo: por que a religião criada por Jesus é moderna, fascinante e inquestionável (Rio de Janeiro, RJ: Thomas Nelson Brasil, 2008), 13-14.
[2] Idem, p. 22.
[3] Ruth de Aquino, “Luana Piovani – ‘Meu ponto forte é a cabeça’”, disponível em http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI16256-15295,00-LUANA+PIOVANI+MEU+PONTO+FORTE+E+A+CABECA.html, primeira parte da matéria.
[4] André Schiliró, “A estrela pós-moderna”, disponível em http://veja.abril.com.br/especiais/mulher_2003/p_014.html.

7 comentários:

Anônimo disse...

Descordo completamente disso as pessoas tem livre arbitrio, eu sei que éla escolheu o caminho errado mais a vida é dela vcs podem si meter na vida dela

Rafaela

Paulo disse...

Bom, já que dá pra comentar..

Está certo, não sei muito da vida que ela leva.
Mas está tão fácil condenar e julgar pessoas, e se investissemos na recuperação e na compreensão delas?

obs. sou um adventista pós-moderno, desligado e praticante.

Lidia disse...

o site ñ condena ninguem so observa os atos de luana q nao condizem com um adventista desligado ou praticante pois quem conhece a verdade nunca esquece e ela não demostra ser mas pode ser ate sido criada na igreja adventista as nunca se converteu a fe reamente.

Anônimo disse...

Não é somente Luana Piovani. Pessoas que se dizem adventistas do sétimo dia, mas que não vivem uma vida de conformidade com os princípios de nossa fé são muitas. E muitas delas alisam os bancos da igreja todos os sábados.

Levi de Paula Tavares disse...

Paulo disse: "sou um adventista pós-moderno, desligado e praticante."

Pergunto: Isso existe? Em caso de resposta afirmativa, eu faria uma segunda pergunta: Quando Jesus voltar, isso vai existir?

Anônimo disse...

Com toda certeza isso vai existir. Não sei se você ja teve a oportunidade de entrar em meio a uma plantação seja qual for, ali você verá que mesmo com todo cuidado do agricultor sempre aparece ervas daninhas para tentarem se sobre sair a cultura ali plantada. Conclusão em todo lugar, em toda igreja, em todo comentário, tem aqueles que irão responder mais facilmente a verdade apresentada e outros que irão contra dize-la mesmo sabendo que estão errado isso é real. Faça um teste preste um pouco mais de atenção nas pessoas que te rodeam,olhe as atitudes delas e as suas compare-as veja se você e eles estão de conformidade com a verdade de Deus.

Roberto Sobral disse...

Amigo, a expressão severa referida a igreja Adventista do Sétimo dia, se aplica de que forma?