terça-feira, 23 de setembro de 2008

A CONTINUAÇÃO DE HARRY POTTER?

A partir do dia 4 de dezembro, os fãs da saga de Harry Potter poderão descobrir um pouco mais do universo mágico criado pela escritora J.K.Rowling. Acompanhando o lançamento mundial, a Editora Rocco publica no Brasil o livro Os Contos de Beedle, o Bardo.

Citada em Harry Potter e as Relíquias da Morte como um presente de Dumbledore para Hermione, a publicação reúne cinco histórias escritas e ilustradas pela autora. Produzida inicialmente em tiragem artesanal de sete exemplares, a obra causou frisson ao ser arrematada pela Amazon por US$ 4 milhões em um leilão beneficente realizado no fim do ano passado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Com o fim da saga de Harry Potter, J.K.Rowling. quer continuar explorando a matéria prima que fez dela uma das maiores celebridades britânicas e dona de uma generosa conta bancária. Engana-se quem pense se tratar de uma obra de ficção: a magia, ou Wicca Witchcraft, que aparece no enredo dos livros de Rowling é uma prática real, que tem crescido entre os adolescentes de todo mundo, incentivada por obras como Harry Potter. A promoção do misticismo, de forma tão aberta, é um perigo real ante o qual os veradeiros cristãos devem estar alertas.

63 comentários:

Cassio disse...

devemos apenas acreditar em deus.

cassio rosa 6 b

Anônimo disse...

Achei interesante ,apenas de não ter lido nenhum livro dela conheço muito sobre Harry Potter.


Bernardo Borges
6º-b

vitor disse...

Rafael 6ºB
Muito legal eu não sabia agora sei que o Harry Potter era tão asim

Anônimo disse...

eu acho que nós devemos sempre acreditar em DEUS e pararde acreditar nessas ilusoês de magia

TAINÁ 6°B

BJUSSSS PROF°

Anônimo disse...

Devemos acreditar em Deus,
porque quem irá nos salvar
é ele,e não Harry Potter...
Não sei porque algumas pessoas gostam de ler este tipo de livro
nunca li,mas acho que nao deve ter
nada de interessante...
Devemos ler mais sobre a Biblia.


Camila Klausen Martins
6ºB

Anônimo disse...

professor legal o texto,mas nao leio muito os livros do Harry Poter sei que não é verdade as magias mas é legal de ver. santiago 6-B

Ana Caroline disse...

Eu gosto muito dos livros do Harry Potter,mas nunca li nenhum dos livro que ela escreveu sobre eles.

Victor disse...

achei muito legal que devemos acreditar em deus e não em deuses

Anônimo disse...

Asves de acreditarmos em bruxismos, que isso nao leva nada em conta a nossa vida.
Acredite em Deus pois issso vale a pena , e muito na nossa vida ....... E parar de acreditar em magias e asves de ler esse livro nos devemos ler a biblia, asveses de perder tempo nisto que nao leva nada em conta a nossa vida vamos ler a biblia pois isso leva em conta na sauvação .

Esse comentario foi feito por:Geovanna nigro marinho
Ano 6 b pois acreditem......

lucas matheus maria 7 ano a disse...

prof Douglas achei muito interesante seu texto pois fala que devemos adorar a Deus e não outros deuses o fim do mundo está próximo e o de sátanas tambem pois ele sabe que o tempo dele esta próximo ele quer enganar as pessoas com filmes de magia;bruxaria;terror e outras coisas não se deixe enganar com filmes de bruxaria; pois voce pode perde uma grande festa lá no céu e Jesus não ficaria contente se voce não fosse na festa.

Anônimo disse...

A bruxaria é uma coisa errada perante Deus, por isso ele mandou o rei Saul matar todos os advinhos e magos do reino de israel.
A unica coisa que devemos seguir é a Deus.
Matheus Hansen 7º A

morgana 7anoº A disse...

Olha eu acho que devemos ficar de olho no que nós lemos, igual o Harry Potter nao é um livro bom para se ler, pois assim como o texto fala que os livros de Harry Potter tem levado muitos adolescentes a entrar na bruxaria, isso acontece pois ao inves de ler livros bons, lem so coisas ruim. Eu acho que o personagem Harry Potter nunca deveria existir.
beijinhusss.....

Anônimo disse...

Gostei muito da história bem interessante o que diz do autor de Harry Potter mais eu vou conta uma experiência pessoal
Quando tinha oito anos, todos ficavam falando para mim que Harry Potter era demoníaco que Harry Potter era a quilo que era a quilo outro, eu achava que não era verdade ai peguei um livro de Harry Potter eu como CEI a ler o livro de Harry Potter eu li o primeiro capitulo o segundo capitulo no terceiro capitulo eu parei de ler e não gostei meu era muito demoníaco, depois de ler comecei a orar pedindo perdão a deus.
Jhony Watson 7º A

Anônimo disse...

Prof. eu sei que o filme Harry potter é legal, mas tambem sei que em varias partes age comtra Deus por isso sei que quanto mais pessoas asistirem o filme, mais pessoas acreditaram que podem pegar uma varinha e sair fazendo magia porai


Ricardo R.C. 7º ano A

Anônimo disse...

apesar de nao ter lido nenhum livro do Harry Potter eu achei muito interesante



envino 6b

Anônimo disse...

Devemos acreditar em Deus,pq é ele q pode nós salvar,e não Harry Potter q vai nos salvar com sua historia de magia...
Devemos acreditar apenas em Deus q é nosso salvador.

Escrito por:Luiza Alcantara de Carvalho 6ºB

victor hugo disse...

não devemos acreditar em misticismo, apenas em deus.

Anônimo disse...

Gostei muito do texto,e creio que se não estivermos guardados pelo sangue de Jesus, estas coisas podem sim nos atingir;bem, aí vai uma dica:comece a ler mais a bíblia e a assistir filmes que contam e relatam histórias bíblicas em vez de ler assistir sobre Harry Potter e concertza sua vida vai mudar completamente, ACEITE O DESAFIO E COMECE HOJE MESMO!!!
Isabel 7 A

Anônimo disse...

Jesus disse:amai a mim assima de todas as coisas!Essa frase explica tudo!

Mateus Alves 6 ANO B-pick ;)

Anônimo disse...

Eu acho que nós devemos acreditar em Deus,porque é ele que vai estender a mão para nós quando será a hora serta.
Harry Poter não é uma boa-influência para as crianças.
Deus que irá nos salvar e nos perdoar.
Álanis-6°ano B

Anônimo disse...

Eu achei muito legal mais nao acredito q exista majias essas coisas como no filme dis....

Lucas de Paula 6b

Anônimo disse...

falando sério..
Não acredito em Deus!e eu não ligo para oque falam sobre o Harry Potter..eu li todos os livros e vou continuar lendo,e não vai ser um texto que vai me fazer mudar de opinião sobre oque eu acho.

Isadora Ricobom.
7ª a

Gadriel disse...

ficou legal apezar de nunca ter lido um livro dessa autora eu,conheço muito os livros de harry potter e ter visto o filme dele.

gabriel rocha 6 ano b

Wagner Lucca 6º b disse...

Devemos acreditar apenas em deus e não em filmes,vejo filmes do harry potter só por diversão e não acredito em misticismo,achei o texto muito legal!


Abraços professor! 8-)

JOHANN disse...

POR TRÁS DESSES LIVROS SOBRE O HARRY DA ESCRITORA ROWLING TEM A IDEIA QUE OS BRUXOS PODEM SER DO BEM OU DO MAL, DANDO IDEIA AS CRIANÇAS QUE MESMO SENDO BRUXOS PODEM SER BONS E ATE SALVAR O MUNDO DE DEMONIOS, MAS NA VERDADE ESTA PESSOA ESTA POSUIDA POR VARIOS DELES. EU PREFIRO LER A BIBLIA POIS O QUE ESTA ESCRITO NELA E REAL E LENDO-A PODE-SE CONSEGUIR PODER E VENCER OS DEMONIOS DE VERDADE.NÃO CONSIGO ENTENDER PORQUE AS PESSOAS COMPRAM UM LIVRO DESSES QUE QUATRO MILHÕES DE REAIS NÃO COMPRAM UMA BIBLIA QUE CUSTA UM REAL.


JOHANN POOL AMORIM 6B

Anônimo disse...

Eu nao gosto muito do Harry potter nao.. nunca assisti o filme e nem li o livro...na minha opiniao magia nao existe...

Jéssica 6º B

Anônimo disse...

Professor Douglas eu acho errado essas coisas de magia e bruxaria!
Mas o texto que o professor fez e muito interesante para as pessoas que veem essas coisas .
E a Bruxaria e uma coisa ruim porque fala de coisas muito feias para as pessoas que veem.
bjs luiza suelen silva
7 ano A

Anônimo disse...

eu li todos os livros de harry potter. conhesso varias coisas dele mas acredito em deus


nome:christhian
serie:6º»B«

Anônimo disse...

Eu concordo que o livro do Harry Potter não é um livro educativo,o livro fala sobre bruxaria e isso é uma coisa que vem a desrrespeitar a Deus, mas na minha opinião não quer dizer que quauquer um que o leia olivro fique possuido e comesse a fazer bruxaria pois amaioria das pessoas que fasem iso tem cabessa fraca,pode da pesoa fazer isso de pois de um bom tempo lendo ese tornando idolo dessas coisas,mas é melhor não ler porque como dis na biblia sobre os dez mandamentos,temum mandamento que fala não teras outros deuses diante de mim(não adorar níguem igual a deus),etão se adorarmos essa coisas automaticamente estaremos cometendo um pecado deter outro outro deus perante a ele(DEUS),eu adimito que vejo esses filmes de vez em quando mas é so para diversão e gosto assis tir algo do tipo mas naõ quer dizer que eu v irer feitisseiro pois eu acredito en deus ,enão acredito que a a minha cabeça sej fraca o sufisente para o diabo me pregar todos os tipos de peças.

Profesor gostei muito do texto,obrigado por nos ensinar essa valiosa lissão

Thomaz 7º A

stylus.b disse...

O texto é legal mas essas coisas de bruxas n existe devemos acreditar apenas em Deus nosso unico salvador.




Lucas Reis Westphal.7º A

Anônimo disse...

Achei muito interessante esse texto, mas eu nunca fui fã do HARRY POTTER, pois sei que nada q acontece nos filmes dele e nem mesmo no livros sao verdades...
Por isso nao devemos nos iludir no que vemos em filmes de magias, bruxarias e etc.
Podemos perceber o resultado disso, adolecentes mau influenciados, nas drogas, bebendo e outras coisa mais...
bom é isso que penso.

Bianca Puchalski 7º ano A

Anônimo disse...

concordo com o senhor profº devemos adorar um só deus.eu gosto de ler e prinsipalmente o harry potter.mas ñ passa de leitua.beijos
Rhaquel 7°ano a

Anônimo disse...

Professor , eu não acredito nenhum pouco nesses filmes do HARRY POTTER , ja vi o filme e ja da pra percebe que nada do filme existe, então quem acredita em Deus não vai precisa se preocupa com essas coisas e quem não acredita , não sabe quem é Deus.


Ana Luiza Roncelli Back 7ºA

Anônimo disse...

Eu na minha opinaião acho Harry Potter legal,mas acho também que não tem nenhum motivo para os jovens se espelharem nele pois não levará eles para o caminho certo!
Devemos acreditar somente em Deus e ele é que nos levará ao caminho certo!
Bjoo
Larissa 7°A

Anônimo disse...

ja vi o tal filme e achei uma bobeira ,acredite apenas em DEUS não em outros seres q são inrreais.O texto é bem interesante

Luiz Artur 7º ano

BrunoMCP disse...

Devemos acreditar que vocês todos escreverão sem erros um dia...

Se os cristãos podem fazer o que fazem porquê que esta gente não pode fazer "magia"?
Vão criar uma nova inquisição?

Já agora, não deviam acreditar em deus nenhum, mas sim em vocês mesmos.

Harry Potter não é demoníaco, é uma adorável obra de ficção. Vocês fanáticos é que são demoníacos!
Ninguém acredita que Harry Potter é real.

Eu já li uma boa parte da Bíblia, por isso posso afirmar com toda a certeza que o Harry Potter está muito mais bem escrito.


Se não deixar este comentário ser publicado, isso só demostrará que é um cristão, a religião das que mais gosta de reprimir as outras...

douglas reis disse...

Bruno,

Você só pode estar brincando!

Você critica os cristãos porque, segundo o seu comentário, a iniciativa de criticar Harry Potter abriria uma "nova Inquisição".

No entanto, você termina enunciando ameaçadoramente: "Se não deixar este comentário ser publicado, isso só demostrará que é um cristão, a religião das que mais gosta de reprimir as outras..."

Ora, quem está agindo de forma intolerante e forçando uma situação? Como administrador do blog, não tenho nenhum compromisso de publicar o que você escreve. Aliás, aqui é permitido o debate inteligente, não abrimos espaços para expressão grosseira de preconceitos como a que se lê na sua frase: "Vocês fanáticos é que são demoníacos!"

Afinal de contas, quem está agindo como inquisidor?

BrunoMCP disse...

Não estou brincando.
Sinto no fundo tudo o que disse.

Aquilo que disse no fim foi porque existe imensa gente como voce, com um blog, mas que deixa postar apenas aquilo que convém...
Não quer dizer que você seja assim.

Talvez devesse rever o significado de preconceito.
Está espalhado por todo o blog.
Ainda por cima preconceito contra livros de ficção.

Não fui grosseiro. Talvez para você seja grosseiro tudo o que for contra as suas crenças.

Mas tem de admitir que certos comentários neste blog são fanáticos, olhe para alguns dos anteriores.

douglas reis disse...

"Sentir no fundo" não é justificativa (Hitler também sentia no fundo que deveria se livrar dos judeus na Alemanha, meu caro!)

Preconceito é emitir um julgamento prévio, sem análise ou conhecimento mais aprofundado de um assunto. Não acredito que a postagem tenha sido motivada por esta causa, até porque você pode conferir as fontes usadas na matéria.

E você, como justifica suas críticas aos cristãos?

BrunoMCP disse...

Hitler estava correcto. Errado, segundo os judeus.
É mais que óbvio. Pelo menos você não diz simplesmente que Hitler é "o Mal" e pronto.
Subiu na minha consideração.

"Sentir no Fundo" não é para justificar nada, é para certificar que não estou a brincar, longe disso.

Quais críticas? vai ter de escolher, porque tenho muitas a fazer.
E eu tenho conhecimento suficiente do assunto para as fazer todas, acredite.

douglas reis disse...

Para alguém que acredite que Hitler esteja correto, não deve ser realmente difícil "provar" quaisquer erros dos cristãos!

Para alguém criticar algo, deve partir de uma base - e qual é a sua? Que tipo de alternativa voc"e oferece para o Cristianismo?

BrunoMCP disse...

Percebeu mal.
Hitler só estava correcto pelo ponto de vista dele.
Da mesma forma que Bin Laden está correcto, e da mesma forma que você e eu estamos correctos. Não sou nazi, e odeio quem seja.

Alternativa? Está a falar de uma religião?

douglas reis disse...

Não necessariamente. Por "alternativa" me refiro a toda explicação de mundo de ordem filosófica (Anthony Giddens chama isto de "metanarrativa"), que procure identificar de onde viemos, qual a nossa situação atual e como podemos progredir.

Dentro do Cristianismo, tais categoria recebem, respectivamente, as nomenclaturas de Criação/Queda/Redenção. Em outros sistemas, é possível encontrar equivalentes a estas categorais.

Você, por exemplo, se expressa como um relativista moral, porque defende que todos estejam certos dentro de seus pontos de vista peculiares.

Mas, caso isto fosse levado às últimas conseqüências, teríamos de abolir a própria noção de crime - obviamente, um psicopata age corretamente dentro de suas próprias concepções (como foi o caso de Hitler).

O que faz as coisas serem certas, equänimes e justas, em contraponto às que são más, iníquas e injustas?

Precisamos de um critério mais confiável do que a mera opinião pessoal ou a convenção social (como o querem os pragmáticos à la Richard Rorty).

Afinal, a sociedade também pode criar conceitos falsos de certo e errado, como no caso daquelas sociedades que permitem a escravidão, a violência doméstica contra a mulher e limitam a liberdade de expressão individual.

Para você, meu caro, é justificável uma epistemologia que descarte valores absolutos?

douglas reis disse...

Bruno,

acredito que você pode refletir na questão da necessidade de uma base moral (que incoscientemente pemeia tudo quanto façamos, pensemos ou sejamos) a partir dos seguintes links:

Uma crítica ao humanismo que se apóia na boa-vontade dos homens:

http://questaodeconfianca.blogspot.com/2008/10/mais-filosofia-menos-religio-o.html


A influência da cosmovisão nas artes:

http://questaodeconfianca.blogspot.com/2008/10/o-discurso-do-vazio-ou-o-que-deu-na.html


Criacionismo e Ciência Naturalista:

http://questaodeconfianca.blogspot.com/2008/06/veja-o-que-j-foi-visto-novavelha-promoo.html

http://questaodeconfianca.blogspot.com/2008/08/evolucionismo-e-tesmo-bblico-vises.html


A perspectiva cristã sobre o trabalho como vocação:

http://questaodeconfianca.blogspot.com/2008/05/o-pastor-como-algum-que-desperta-vocaes.html


Críticas aos novos modelos de espiritualidade:

http://questaodeconfianca.blogspot.com/2008/11/o-boom-da-espiritualidade-ps-moderna.html


Interpretação bíblica:

http://questaodeconfianca.blogspot.com/2008/03/moiss-o-toxicmaco.html

http://questaodeconfianca.blogspot.com/2007/11/como-viver-biblicamente-de-verdade.html

BrunoMCP disse...

Lamento, mas não sei os termos técnicos.
Voltou a perceber mal. Eu não acho que os criminosos possam fazer o que querem porque acham que está certo, até porque as outras pessoas acham que está errado.

Não é preciso alternativa. Não é preciso ter religião.
Basta pensar racionalmente. É como eu levo a minha vida e resulta bem.
Não preciso que um deus qualquer me diga o que fazer, porque eu consigo decidir sozinho.
Não preciso do seu amor porque tenho o da minha família. Não preciso da sua protecção inexistente porque sei defender-me.
E acima de tudo, não preciso da sua Palavra, porque tenho as minhas próprias opiniões.

Quanto ao crime, numa sociedade simples, quem roubasse saberia que as outras pessoas o castigariam. Não é Deus que castiga, mas o sistema penal.
E aliás, muitos criminosos são religiosos. Para quê a religião se há crime na mesma?

Eu divido os religiosos em dois grupos simples:
O dos que já nasceram no seio da religião, [hábito],
e o dos que precisam dela [fraqueza de espírito].

Quanto à metanarrativa:
Conheço a teoria da criação, que não faz sentido, e a da evolução, que não é grande coisa, mas é a melhor que conheço.
O nosso propósito: a vantagem de não ter religião é que podemos escolher o nosso propósito.
Não sei o que há depois da morte, mas não estou com pressa de lá chegar. Hei de saber quando chegar a altura.


P.S.: Hitler era cristão.

douglas reis disse...

Se for afirmar algo, faça-o com base histórica! Dizer que Hitler era cristão é um impropriedade, afinal, é fato bem conhecido que ele perseguiu muitas igrejas alemãs.

Acho que, no final, é você quem não percebe as conseqüências do que tem sustentado: o que define um crime é o nosso senso de valor moral - é ele quem diz que matar é errado ou que não posso simplesmente entrar em uma loja e levar um MAC debaixo do braço.

A base moral é derivada de valores absolutos ou ela se torna mutável (numa hora uma coisa é considerada um crime, noutra hora passa a ser lícita).

Lembra-se da Revolução Francesa? O período de maior inssurreição e atrocidade foi marcada pela rejeição de Deus, naquilo que passou a figurar como o primeiro estado ateu da História! A confiança na razão não foi suficiente para respaldar uma base moral sólida.

Como você não foi capaz de responder, insisto na pergunta: O que faz as coisas serem certas, equänimes e justas, em contraponto às que são más, iníquas e injustas?

Critérios pessoais ou sociais?

douglas reis disse...

Outro ponto: você se esquce de que a razão é limitada pela nossa vontade - até mesmo os mais instruídos podem ser capazes de atos moralmente condenados. No Brasil, a mídia tem nos bombardeado com infanticídios, pedofilia, homicídios e outros crimes hediondos cometidos por gente da classe média-alta. O racionalismo não possui solução para o comportamento humano que é imprevisível.

A cosmovisão bíblica admite a incapacidade humana e oferece a regeneração da vontade. Isto ninguém pode operar por si mesmo

douglas reis disse...

Sobre metanarrativas: sim, o evolucionismo pode ser considerado uma. Muitos fazem como você: acreditam na Evolução Naturalista apenas por rejeição ao sistema bíblico. Mas, dando uma boa lida nos links que lhe passei (mantendo a mente aberta), você poderá notar algumas incoerências do modelo evolucionista.

douglas reis disse...

Entre o grupo dos "fracos de espírito" inclua: Sir Isaac Newton (tido por alguns como um dos maiores cientistas de todos os tempos, e que dividiu seu tempo entre a ciência e o estudo dos livros proféticos da Bíblia); Blaise Pascal; Francis Bacon (o filósofo que propôs o empirismo); Bach (luterano e um dos mais compositores de todos os tempos, para você que gosta de música clássica); o renomado filósofo contemporâneo Alvin Platinga; e vamos ficar com estes que a lista é imensa....

BrunoMCP disse...

Como vê, o cristianismo existe há quase dois mil anos, e não conseguiu acabar com essas coisas que vê na TV e que sempre existiram. E não vai conseguir, porque a religião gera grande parte dos conflitos.

Eu não aceito a evolução apenas por rejeitar a criação.
Eu até disse que não é grande coisa, mas entre os dois, a escolha é óbvia.

"o que define um crime é o nosso senso de valor moral" concordo, mas e depois?
Isso é uma heresia, não é o senso de valor moral, é Deus que dita o que é crime. Está a contradizer-se.

Relativamente à Revolução Francesa, só tenho a dizer que a França é um excelente lugar para viver, apesar da "inssurreição e atrocidade".
Tudo provas de que a religião é inútil.

Isso sobre a "cosmovisão bíblica", é treta.
Há imensa gente cristã que comete crimes, ou se suicida, etc. E há muitos ateus que vivem de forma invejavelmente feliz.

Pode ter a certeza que eu tenho a mente aberta. Como prova disso, fique sabendo que fui baptizado católico, tive cinco anos de catequese, fiz a Primeira Comunhão tenho quase toda a família católica, num país católico, E AINDA ASSIM, abomino religião.
Excepto o budismo, que respeito.


P.S.: Adoro Macs.

BrunoMCP disse...

Mais respostas:

Eu nunca acreditaria na Criação.
E eu tenho uma base moral. A minha visão lógica da sociedade. As minhas necessidades e as dos outros.

Admita, esses palavrões, "novos modelos de espiritualidade", "Ciência Naturalista" são apenas mais tentativas do cristianismo agarrar-se à passagem dos tempos... Isto não é só minha opinião, é aquilo que a sociedade está a começar a mentalizar.


Já agora, por favor responda-me sinceramente:
Você acha que seria muito bom se me conseguisse de alguma forma converter para o cristianismo?

douglas reis disse...

A Religião não pode acabar com os problemas de quem não se submete ao que ela ensina; como a religião pode acabar com a violência, por exemplo, se as pessoas não pautam sua conduta pelo espírito de perdão e promoção da paz ensinada no evangelho de Cristo?

Que argumentação você utiliza para a justificar a "escolha óbvia" pela evolução. Já leu os links que lhe enviei?

Até onde posso entender, não existe um projeto sem um projetista inteligente. Como explicar a estrutura do mundo natural e dos próprios seres vivos, estrutura que Behe chama de "irredutivelmente complexa" sem que haja por trás disto um Projetista?

douglas reis disse...

Não, não estou "a contradizer-me". Só quero que você perceba que num mundo funcional há a necessidade de uma lei moral absoluta. De onde derivar essa moral? Da opinião pessoal ou da sociedade?

Qualquer uma das duas respostas levará ao mesmo caminho: se a base para a moralidade é uma convenção, segue que a moralidade não é algo fixo, mas mutável. Acaba-se por perder o critério de julgamento.

Volto aos exemplos que dei: é errado uma mulher ter que se submeter à violência doméstica do próprio marido? Pense da seguinte forma:

Se a moral é estabelecida por critério pessaol, o marido agressor está justificado! Voc~e não tem base racional para criticá-lo.

Se a moral é uma convenção social que funciona na prática (tese do filósofo pragmático Richard Rorty), então o marido pode bater na mulher, desde que a sociedade em que ele vive lhe dê este direito (e muitas dão!)

Apenas com uma base moral univeral é possível estabelecer que qualquer homem que bata em sua mulher apenas por gosto está errado.

Mas, voltando à pergunta: de onde vem a base para uma moral universal?

Pela cosmovisão bíblica, fica estabelecido que homens e mulheres, criados pelo mesmo Deus, tem os mesmos direitos e, dentro de um casamento, ambos devem se respeitar, não havendo justificativa para a agressão física.

Agora, se todos os cristão agem assim na prática ou não, é outra história.

Como eu disse antes, a religião só pode mudar a vida daqueles que a praticam - e existe uma distância entre os que praticam e os que meramente professam uma crença.

Espero ter sido mais claro agora.

BrunoMCP disse...

Não li os links, porque também tenho outras coisas para fazer, talvez nas férias.

Só porque a Natureza é complexa, já existe Deus?
Deus foi inventado pelo Homem e moldado ao longo dos anos. É engraçado como a Igreja é adaptável:
ainda há uns anos queimava quem dizia que a Terra é redonda, e agora tentam justificar a existência do seu proprio Deus... Daqui a uns anos vão dizer que Deus usaria preservativo.
Hipocrisia é uma palavra adequada.

A sua teoria abana se se fizer a pergunta temida:
Quem criou Deus?

"Até onde posso entender". mas é claro que só pode entender até onde a ciência conseguiu chegar... No futuro entender-se-á mais.

douglas reis disse...

Quanto à França: o estado voltou atrás e deixou sua postura imediata à Revolução no sentido de promover o Ateísmo.

Os termos à que fiz referência não são criados por mim. Espiritualidade é algo estudado pela sociologia (da religião, no caso). E Naturalismo científico é a nomenclatura mais apropriada ao modelo darwinista.

Quanto ao Cristianismo tentar passar no tempo, acho que ele vem sendo bem-sucedido: a fé vive em expansão!

douglas reis disse...

Quem tem que analisar se converter-se ou não ao Cristianismo é bom ou não é você. A escolha é sua, pessoal e intransferível. Mas a conversão, como a Bíblia a apresenta não nasce de um assentimento (concordância) a uma idéias, ams da operação sobrenatural do Espírito Santo. O que os apologetas fazem é apresentar as evidências em favor do Cristianismo; conversão não é uma tarefa humana. Isto cabe a Deus, que quer que todos se convertam, mas que, ao mesmo tempo, respeita, com pesar, mesmo as decisões erradas do ser humano.

BrunoMCP disse...

Mas há uma lei moral, pare de dizer o mesmo.
Nunca pensou que a moralidade pode derivar desses dois lados e de talvez mais?

Há sociedades que deixam os maridos baterem nas mulheres. Isso não muda nada nem há muito a acrescentar. É um facto.

"a religião só pode mudar a vida daqueles que a praticam", então não é muito eficiente.
Lembre-se de todos os cristãos que fazem coisas horríveis.

A fé vive em expansão?
Então porquê que existe cada vez mais ateus?

É possível que não lhe responda em pouco tempo.
Achei a conversa muito interessante, até fiquei a pensar em criar um blog para isso, apesar de não termos chegado a conclusão nenhuma.
(este blog não é o melhor sítio)
Cumprimentos

douglas reis disse...

Sobre Galileu, leia

http://www.galilean-library.org/manuscript.php?postid=43820

Você verá que a história que lhe contaram sobre o corajoso cientista que defendeu o heliocentrismo contra a maldosa inquisição é uma farsa!

Como eu já lhe advertira: "Se for afirmar algo, faça-o com base histórica!"

Seu argumento cosmológica às avessas deve vir da leitura de algum material bem raso, talvez "Deus: um delírio" de Dawkins.

Então, deixe-me informá-lo: o argumento original funciona assim:

1) Tudo o que passa a existir, tem uma causa;

2) O universo passou a existir;

3) Logo, o universo tem uma causa

O argumento não prevê uma causa para Deus. Nem é necessário.

É como pensar em um filme. Todo ele segue uma seqüência tem um propósito. Por trás dele existe um diretor. O enredo se encarrega de explicar as ações das personagens e o curso geral.

Mas o enredo não explica o diretor, que está fora do filme. Deus está fora do filme. O que serve para explicar o Universo, não se aplica a Deus!

Outra coisa, meu caro: não me é necessária a ciência no que toca à epistemologia.

douglas reis disse...

Agora você se contradisse (talvez sem perceber).

"Nunca pensou que a moralidade pode derivar desses dois lados [imagino que sejam escolha pessoal e convenção social]e de talvez mais?" O seu "talvez mais" abre espaço para ao que me referi antes como "metafísica", o que foge do racionalismo da ciência naturalista (ops!, perdão, esqueci-me de sua dificuldade com nomenclaturas!)

Sobre a eficiência da religião: ora, mesmo o melhor remédio só funciona quando é usado corretamente! O fato de que alguns cristãos não levarem a sério o cristianismo não depõe contra o cristianismo, apenas contra a hipocrisia daquelas pessoas.

Talvez você não tenha conseguido compreender o exemplo que dei da mulher agredida: o que afirmei é que só é possível classificar uma ação como certa ou errada, justa ou condenável a partir de uma moralidade universal (que vem, no caso do Cristianismo, de um Deus moral que está acima das culturas e épocas). Contra isso, você também não foi capaz de prover qualquer alternativa viável.

O número crescente de ateus não é novidade. Mas o Cristianismo ainda permanece em expansão. Analise você mesmo as evidências de ambas as partes, pese as conseqüências e veja por si só qual sistema provê uma sólida base para vivermos.

BrunoMCP disse...

Só queria dizer isto, para concluir:

Entenda que citar escritos e fazer comparações não prova nada. Lá porque um fulano qualquer escreveu que Deus é assim ou assado, ou que Galileu fez o que quer que seja não quer dizer nada. Relativamente a comparações, o Mundo não é um filme que possa ser realizado. Por muita lógica que o seu raciocínio faça, nada nos garante a sua veracidade.
Deus até podia existir e não concordar com o que os padres dizem.
Afirma tudo como verdades absolutas, só porque leu em livros, (que foram escritos por gente)!
Não espero que você entenda, visto que não entendeu boa parte do que eu disse, apesar de falarmos mais ou menos a mesma língua. Devo ser eu que não me explico bem. E é verdade que não disse nem respondi tudo, nem você, para isso teria de escrever um livro. Ou podíamos debater durante eras, que não chegaríamos a conclusões. Por muito que goste destas conversas, não tenho tempo.

Mas, voltando ao tema da mensagem, alguns leitores deste blog são doidos: "parei de ler e não gostei meu era muito demoníaco, depois de ler comecei a orar pedindo perdão a deus." esta gente costuma estar em hospícios.

E se tivesse sido Deus a criar feitiçaria?
Era o que os egípcios pensavam, e você gosta tanto do que se dizia antigamente.

Cumprimentos

douglas reis disse...

O que citei foi para esclarecer algumas coisas que você pontuou. No caso de Galileu, até historiadores seculares sabem hoje que a história envolvendo seu julgamento na santa inquisição foi mal contada.

A respeito da comparação, caro Bruno, a força do que eu disse fica por aproveitar a lógica de um argumento centenário. Já que você gosta e fala tanto em usar a razão, julguei que apreciaria. Ou você se apega à lógica apenas quando ela é empregada a favor de suas opiniões?

Você, assim como muitos daqueles que se revoltam contra Deus, se voltam contra a religião instituída, apontando suas incoerências como demonstração de suposta fraqueza da religião em si.

À medida em que você se familiarizar com este blog, perceberá que também sou, em certa medida, crítico das tendências manifesta em boa parte da Cristandade. Ou seja, se Deus não concordar com o que os padres dizem, seremos dois!

O problema, Bruno, da forma como eu o encaro, está voltado para nossos pressupostos: tendemos a assimilar e interpretar os fatos de acordo com conceitos pré-formulados.

Se formos honestos e nos abrirmos às evidências, o Cristianismo despontará como uma forma lúcida e coerente de se viver, provendo uma base universal para apoiar uma moral sólida (fato que você não pôde refutar com toda a sua alegada lógica!).

Não estou me referindo ao cristianismo supersticioso e flácido de nossos dias, mas a um tipo de cosmovisão vigorosa que é apresentada na Bíblia e tem disposto os mártires a chegar ao ponto de depor a sua vida por isso, ao invés de ceder à repreensão de sua consciência.

Outrossim, não posso ser responsabilizado pela opinião daqueles que escreveram: se alguém lesse as suas próprias opiniões, Bruno, poderia me censurar por permitir sua publicação.

Não endosso o que publico. Respondo pelas postagens e pelos meus próprios comentários.

Quanto a Deus e à feiticiaria, creio que Deus Se revele por meios que sejam coerentes com a Revelação que fez de Si mesmo, a Bíblia. A própria Bíblia expressa a desaprovação à magia (cf.: Is. 8:19 e 20).

Seria, portanto, estranho que Ele criasse o que mais tarde desaprova, você não concorda?

BrunoMCP disse...

Tinha a intenção de não responder, mas tenho de dizer isto.
Não foi Deus que escreveu a Bíblia.
Ela é apenas uma colectânea de mitos, alguns relatos, imagino, e algumas cantigas, escritos ao longo de séculos, e foi de certeza alterada pela Inquisição.
Na minha opinião, nem o mais crente dos cristãos devia acreditar na Bíblia.
Acreditem em Deus, está bem, mas na Bíblia, por favor.
Deus não a enviou por fax.
Muitos dos escritores não sabiam escrever (falamos de há dois mil anos atrás), talvez alguns nem existissem.
O génesis não tem autor, o que é suspeito, deve ser baseado em fábulas, e imensas partes da Bíblia têm ideias retiradas de outros livros sagrados, como o Corão.
Isto faz-me achar que a Bíblia não deve ser mencionada para provar nada.


Já leu o Harry Potter?

douglas reis disse...

Bruno,

você deixou patente seu completo desconhecimento histórico.

Os manuscritos do Mar morto, encontrados a partir de 1948, eram 1000 anos mais antigos que os disponíveis na época da descoberta, apesar de apresentarem praticamente o mesmo conteúdo de manuscritos mais recentes.

O seu tipo de alegação, sobre a Bíblia ter sido alterada na época da Inquisição, portanto, não pode ser aceita como séria!A arqueologia desabona seu raciocínio.

Pior do que isto foi afirmar que a Bíblia plagiou o Alcorão - escrito centenas de séculos depois da redação final do Novo Testamento.

Antes de criticar alguma coisa, você poderia ter a decência de se informar sobre aquilo - ou pode passar vergonha....