quarta-feira, 17 de setembro de 2008

PROCURA-SE UM HERÓI QUE NÃO SEJA PROCURADO


Recebemos um brinde da locadora. E, na falta de um filme que procurávamos, eu e minha esposa levamos Herói (EUA, Direção: Brian Smrz). Afinal, era grátis mesmo.

Apesar de nenhuma novidade evidente, o filme ajuda a verificar alguns valores de nosso tempo, a começar pelo título. Herói, o título em Português diz pouco. O original, Hero Wanted (Herói Procurado), mostra em toda a sua ambigüidade o heroísmo moderno: anti-institucional, fora-da-lei, propenso a agir por um senso de justiça peculiar.

O lixeiro Liam Case (Cuba Gooding Jr.) se torna alguém assim. Case fracassou ao tentar salvar a esposa grávida de um acidente automobilístico. Tempos depois, ele se arriscou a salvar uma garota de um incêndio. Agora, quando o eco dos aplausos do passado já morreu no ar, continua a ser o mesmo lixeiro, e pior: sem perspectiva. Mas ao depositar flores no túmulo da mulher, ele se depara com uma caixa bancária que se torna, a partir de então a gota de esperança em seu oceano de niilismo.

Sem saber como se aproximar da moça, Case apela a um amigo para encenar uma tentativa de assalto, apenas para impressionar a bancária em questão. Quando o assalto simulado se torna um assalto genuíno, que põe sua bem-amada em estado de coma, Liam Case se torna um Dom Quixote às avessas, que vingará implacavelmente o que fizeram com sua Dulcinéia.

A angústia pós-moderna, com sua falta de perspectiva no futuro, está lá no filme, bem verdade que talvez de forma não-intencional. A necessidade de um motivo, um propósito, aparece; para Liam Case, esta necessidade é personificada pela bancária desconhecida, inacessível.

Outra necessidade da sociedade do século XXI, a saber, o consumismo, é retratado da ótica dos excluídos: como no mundo real, adquirir bens é um imperativo, ainda que alguns não tenham como competir dentro deste sistema; a estes, o próprio sistema obriga a continuar consumindo de outra forma, a ilícita, que compreende a criminalidade em suas diversas atividades. Em Herói, desiludidos e desesperados se unem para tornar o assalto simulado em uma oportunidade para realizar seus sonhos – ou porque não têm sonhos, e nada a perder mesmo.

Mas os criminosos serão punidos. A lei personal existe. O herói faz sua moralidade, caçando seus inimigos, desafiando a ordem instituída. O excesso de violência no filme seria legitimado pela necessidade de cumprir individualmente esta justiça individual.

E a que isso leva? A alcançar um propósito final e norteador, o sonho de um consumo de nossa época, na qual tudo é mutável e, por conta desta mutabilidade, assustadoramente inseguro (a economia americana pós-Bush que o diga). “Vale a pena viver por aquilo que você acredita” é a bombástica frase proferida diante de um mundo em que o cotidiano nos obriga a mudar constantemente o que acreditamos, o que consiste em um processo exaustivo de construção de valores pessoais, sob a regência das circunstâncias instáveis.

Outro conceito que aparece anteriormente em Herói indica de forma camuflada a individualidade do homem pós-moderno. “Redenção é uma coisa engraçada: é preciso ir ao inferno para alcançá-la.” A idéia de redenção é temática recorrente em Holliwood; aliás, a cultura americana, com seu estilo de vida americano é baseada no conceito de redenção. Não se trata da redenção bíblica, mas no sentido de vencer, dar a volta por cima, superar-se. Esta acepção, distante da concepção cristã clássica de redenção, explica a figura do anti-herói americano, que se “emenda” ao longo da trama, passando de um homem abaixo da linha da mediocridade para o patamar de um vencedor.

Herói nos faz pensar em como os valores sociais, que se refletem na produção cultural, estão assumindo progressivamente características bem distintas do que antes era considerado ético e moral. Parecem faltar verdadeiros heróis hoje mais do que faltaram em outros tempos.
Leia também:

16 comentários:

Johnny de Almeida disse...

O filme Heroi trata-se de um grupo de amigos planejando um assalto só por um sonho, querendo enrriquecer rápido!!

Bianca disse...

O filme "Procura-se um heroi que não seja procurado" relata varios valores do nosso dia-a-dia, valores bons mais tambem valores ruins, alguns valores que devemos usar como exemplo mais outros nao!

Darielly e Jenny disse...

Com esse texto compreendemos que,antigamente herois eram aqueles seres valentoes que lutavam com todo mundo, e na maioria da vezes fortes e que sempre ganhavam, tambem eram aqueles que eram considerados eticos e moralmente corretos ,mas hoje "HEROIS" sao pessoas comuns como todos nós.
Porem no seculo XXI, os verdadeiros herois sao aqueles que se preocupam em ajudar o seu proximo sem olhar a quem.
Este texto nos faz refletir de que no mundo pos- moderno,deixamos alguns principios de lado e damos prioridade a outras coisas nao muito necessarias a nossa vida.
Que as pessoas tem que parar de seren tão consumistas e aproveitar as coisas simples da vida...


ALUNAS: JENNIFER S.e DARIELLY M.
1°E.M.

Victor Gabriel disse...

Realmente o mjundo de hoje busca falsas perspectivas... Estamos fazendo parte de um mundo capitalista que coloca o seu próprio bem estar acima de qualquer coisa e a qualquer custo, e nesse mundo de falsos heróis, desejo estar sempe firme em cristo para não perder o rumo!

Elisama disse...

Em filmes americanos com certeza veremos retratados neles o desejo da carne, o desejo dos olhos e a soberba da vida.
Tratando-se do filme Herói Procurado, não é diferente dos demais. A cobiça está sempre presente neles. Para alcançá-la matam, seqüestram, roubam, enfim cometem loucuras sem fim.
E como em todos os filmes, tem um herói que acaba sendo o redentor de uma família, uma cidade ou até do mundo inteiro.
Aonde os homens vão parar com toda essa ignorância? Eles não conhecem as Escrituras e o poder de Deus.
A cobiça só leva a destruição do homem. E a justiça? Fazer justiça com as próprias mãos? Ora a justiça pertence a Deus. Ele é o Juiz Perfeito.

Aluna: Elisama 1º ano E.M.

Anônimo disse...

Acredito que hoje em dia o conseito de heroi esta distante
do que se acreditava.
Burlando leis e passando por cima
do "social"essa é a real crença do que signifique HEROI para a industria do cinema...
hoje em dia nos filmes até mesmo os assacinos podem ser os bonzinhos
Acredito que realmente os valores impostos pela nossa sociedade nao bastem para
ser feita a real justiça, mas,
sao obrigaçoes nossas temos que cumprilas. Esse filme demonstra que na verdade o mundo como um todo é o que nos leva a procurar a Justiça por nossas maos!!!
Mas nós nao devemos nos deixar levar por esse TODO devemos procurar oq realmente seja certo e deixar que se faça justiça por Deus!!

Anônimo disse...

professor postei um comentario sem nome
sou a JESSICA MIGUEL!!!!!

Anônimo disse...

Herói mostra como uma pessoa quando quer ser o que não é, acaba se dando mal...
Se ele amava tanto a "mulher do banco" porque ele não pensou em alguma coisa mais lógica para conquistar ela, um meio mais facil que não fosse simular um assalto...
Não podemos querer ser o que não somos ou conseguir uma coisa que está fora de nosso alcanse...
Quando queremos algo temos que apenas confiar no SENHOR e depender dEle!
Quando dependemos de Deus tudo dá certo...

Sâmia - 1º EM

Willian disse...

Esses "herois de filmes"
são apenas herois de filmes mesmo..
porque na realidade naum existe
esse tipo de pessoa, que vai e mata todos o assaltantes, bandidos, ladroes, e coisas do genero...
arriscando a sua 'vida para salvar pessoas que ele nem conhece',
no mundo real raramente, mais raramente mesmo, existe esse tipo de pessoas que se importam mais com o proximo do que com ela mesma,
esse mundo é cheio de pessoas egoistas...

guilherme disse...

os filmes hoje em dia so vem falando nisso,esse filme fala pessoas roubando sequestrando pra conseguir dinheiro rapido e facil.
oque leva as pessoas a fazerem isso??é aquela questao do sonho americano,de ganhar dinheiro facil e rapido,e quando as pessoas nao conseguem honestamente,é que elas partem para essa coisas.
um bom exemplo pode ser dano com a queda das bolças,das coisas la no EUA,e tudo por causa disso,pessoas querendo ter suas casados seus sonhos parcelando em muitas vezes e chega no fim do mes n tem dinheiro pra pagar.
Essa pessoas precisam é ter mias de Deus no caraçao,nao so dinheiro dinheiro,pois tudo que a gent consegue aqui a gent nao leva na para o ceu tudo fica.
E se voce querer levar voce vai ficar tambem,pense nisso.
Voce prefere viver dias melhor aqui??ou viver a eternidade ao lado do criador com muita felicidade e amor.
Deus tem coisas melhores la no ceu pra voce do que carros importados e luxoosos ou mançoes lindas e gigantescas com piscina.
Guilherme Augusto Félix

Jaqueline disse...

Realmente, hoje em dia é muito dificil encontrar um herói. Um herói que não seja consumido pelas coisas deste mundo, porque hoje em dia o que é mais importante (principalmente acima dos valores e principios) é o TER! Parece que esta palavra serve como obrigação para pessoas, porque muitas hoje encontram felicidade nos bens materiais, mas sabemos que nossa felicidade está somente na presença de Jesus! Será que vale a pena sermos "heróis consumidores", sendo que o nosso coração está totalmente sujo, sem valores e princípios principalmente bíblicos?
É uma pena que pessoas deste mundo acham que para tu ser alguém, você primeiramente tem que TER! Ter aquilo que você vê na vitrine. Ter aquilo que você vê na propaganda. Aquilo que você vê pessoas na rua usando.
Realmente, nosso coração é pecador, e temos que entregar o nosso SER para Deus, pois só Ele pode nos ajudar à não participar deste mundo consumista e egoísta!

Jaqueline - 1º E.M

Anônimo disse...

Esse filme se trata de uma pessoa muito retardade se querer fazer isso com a mulher se ele gostava tanto dela...
eu achuu uma coisa muito errada
o cara penso mas nele doq iria poder aconteser com ela...




Bruno 1°E.M.

Luan E.M disse...

Acho que é coisa de filme ninguém arrisca sua vida por outros que nem conhece, e naum vazem loucuras e loucuras por alguem, nem mesmo fazem pra eles é mesmo coisa de filme.

edson luiz disse...

e um filme de bem estilo
hollywoodiano que so pode
ser ficçao tem ate uma boa historia
mas na vida real o negocio em bem diferente

Raissa 1º ano disse...

O filme Procura-se um heroi que não seja procurado" é mais daqueles filmes de disputas, bem e mal, que relata a ambição e o egocentrismo que vivenciamos, nós seres-humenos, muitas vezes sem perceber; e acabamos nos habituando a nossa individualidade, e quase automaticamente, nos tornamos individuais também... No filme, acaba sendo um pouco diferente, uma pessoa normal, com pensamentos normais, acaba tornan-se herói. Pequenos atos, em uma "antiguidade" são estes, que procuram ajudar o próximo.
Todavia, como já havia dito antes, hoje em dia os heróis precisam fazer grandes coisas para aparecer em meio a multidão de individualistas, que estão proximos em físico, embora distantes em princípios, Deus é o Deus da verdade, é um Deus que nunca falhará, e precisamos depositar nosso orgulho e todo sentimento de inferioridade que nos faz almejar ser herói para ser reconhecido, Deus conhece o valor de cada um, e ama cada filho em especial, não pelo que fazemos ou deixamos de fazer. Oq ue realmente faz um herói é o seu caráter e suas atitudes, e não um porte físico, ou quiem sabe um boa ação.

Anônimo disse...

o mundo de hoje é mesmo assim, com essa idéia de consumismo! e as pessoas sempre querem ter mais e mais. E muitas vezes nao tem condições de ter, e aí começam a pensar em roubar! isso é uma coisa que devemos evitar, sempre buscando ajuda de Deus! e não concordo com esse filme, porque ensina inconscientemente que roubar pode nao ser certo, mas tras felicidade!

Caroline 1º E.M.