segunda-feira, 12 de outubro de 2009

COMPENSA ACEITAR ESTE PRESENTE


A pouca luz se esquivava de mim durante a viagem de ônibus. Ainda assim, eu lutava para seguir com a leitura do ano bíblico. Confesso que, na ocasião, o ministério me parecia uma ocupação ingrata. Frustrado daquele jeito, como realizaria a visita que marcara para aquela noite?

Foi justamente em meio ao desânimo quando o Senhor falou comigo, pelos seguintes versos: “‘Mas somente você e seus filhos poderão servir como sacerdotes em tudo o que se refere ao altar e ao que se encontra além do véu. Dou a vocês o sacerdócio como um presente. […] Você não terá herança na terra deles, nem terá porção entre eles; eu sou a sua porção e a sua herança entre os israelitas.’” (Nm. 18:7, 20, NVI).

Fantástico! Pude relembrar que o sacerdócio é um presente, e Deus é a maior recompensa para os pastores. Confessei perante Deus a minha falha em julgar o ministério um fardo, e não ver o que ele realmente é – um alto privilégio. Você já se viu tentado a avaliar seu ministério da perspectiva de resultados tangíveis? O que é ter um pastorado de sucesso? Acredito que manter-se incondicionavelmente fiel ao chamado é a única segurança de cumprir os propósitos divinos.

Por que manter a fidelidade ao chamado? Apenas com essa atitude um pastor irá salvaguardar-se dos dissabores; suas considerações sobre as dificuldades serão realistas, ainda que imiscuídas em esperança: “Alguns estão sempre a ver antecipadamente o mal, ou a aumentar as dificuldades que realmente existem, de modo que seus olhos ficam cegos às muitas bênçãos que lhes reclamam gratidão.” (Ellen G. White, Patriarcas e Profetas, p. 293). Nunca se esqueça: nenhuma dificuldade trazida pelo ministério é maior do que as bênçãos com as quais o Senhor nos presenteia através dele.

Mas continua tentador abrir mão da convocação feita pelo Mestre! Enfrentamos oposições, críticas e suspeitas, por parte de uma geração que vê com desconfiança toda liderança religiosa instituída. Afinal, a resistência à Verdade faz com que alguns não hesitem em “prevaricar, e mesmo fazer circular as mais evidentes falsidades a fim de destruir a influência e obstruir o caminho daqueles que Deus enviou com uma mensagem de advertência ao mundo. […]” (Ellen G. White, Vida de Paulo, p. 60). Tais obstáculos, muitas vezes, encobrem a visão do que se oferece ao fiel pastor.

Entretanto, os revezes não impedirão o triunfo final da Verdade. Participamos desta vitória, quando encaramos seriamente o chamado. Longe de ser um “presente de grego”, o ministério é uma dádiva, porque resulta em salvação, para nós e para outros!

Um comentário:

neni disse...

Obrigada por fazer nos lembrar também (como ovelhas) deste maravilhoso presente.
Tenha uma boa semana!
Eliza