quarta-feira, 5 de março de 2008

AVANTE, CRISTÃOS: PARA TRÁS


Desde o ano passado, algumas leituras que fiz têm-me deixado inquieto em relação aos rumos da igreja evangélica no Brasil. O destaque vai para os seguintes textos: o Novo Testamento (leitura que fiz ao longo do ano com os músicos de minha igreja), o livro Outra espiritualidade (Ed René, editora Mundo Cristão) e a canção É proibido pensar (João Alexandre, no CD de mesmo nome). Com estas lentes divinas, comecei a escarafunchar a nossa realidade, e o quadro é muito infeliz. Por quê?

Em várias partes do Novo Testamento, percebe-se a posição radicalmente – mas bota radicalmente nisso – contrária, de Jesus e seus seguidores, contra os falsos mestres, religiosos e canalhas da fé. “Lobos”, “ não os conheço”, “raça de víboras”, “enganadores”, “sejam malditos” são algumas expressões utilizadas. O destino desses picaretas? Inferno. Agora, tanto Jesus quanto seus apóstolos possuíam uma postura extremamente diferente em relação ao povo enganado: paciência, amor, compreensão e disposição a um ensino firme, mas terno; respostas inequívocas às heresias difundidas, porém sempre com zelo em relação ao rebanho ludibriado.

Ao trazer esta realidade bíblica para os dias de hoje, quais são as implicações? Várias, mas abordarei apenas algumas neste texto. Antes de listá-las, porém, quero de antemão desarmar a óbvia restrição que muitos fazem quando tratamos de temas polêmicos: “oh, não julgueis para que não sejais julgados.” Que bonito... De fato, este texto tão importante, mas tão mal utilizado como uma espécie de cala-boca, está na Bíblia sim, lá em Mateus 7 (pra não me alongar em suas outras ocorrências semelhantes). Só que no mesmo capítulo, a partir do versículo 15, temos a exortação de Jesus para que tomemos cuidado com os falsos mestres. Julgar, meus caros, é tarefa de um juiz ou de um júri popular, e todo julgamento chega a um veredicto: culpado ou inocente. Quem tenta defender canalhas da fé com este versículo-bordão-sem-contexto é que está fazendo um julgamento; só que, em vez de condenar, absolve levianamente, sem analisar defesa ou acusação. Não posso julgar, mas posso analisar, questionar, esmiuçar e expor muitas coisas que não são vistas – e por que não são vistas? Bem, escolha as opções no cardápio a seguir: falta de senso crítico, preguiça mental, conveniências que brotam do binômio diabólico hipocrisia – religiosidade.

Inversão do padrão bíblico: é pau no povo e rosa para os canalhas da fé

É impressionante como o povo enganado é criticado e como não se dedica a menor compaixão a ele. “Bando de fanáticos”, “esse pessoal merece ser enganado mesmo”, “eta, que só querem saber das bênçãos de Deus” e por aí vai. Ah, meu leitor, venço a hipocrisia e digo-lhe que eu também já disse coisas assim e volta e meia sinto vontade de repeti-las carnalmente diante de várias situações. Entretanto, não é isto que ensinou nosso senhor Jesus Cristo. E se os ensinos de Cristo não bastam, o que seria um absurdo, pense no seguinte: sempre antes de criticar este rebanho tão crédulo, lembre-se de algumas verdades incômodas: nosso sistema de saúde pública é um caos; ainda carecemos de um projeto decente de reforma agrária; nossas cidades incham em vez de crescerem; apenas 2 em cada 10 lares têm esgoto e água tratada; temos um população de 15 milhões de analfabetos e de 50 milhões (número otimista) de semi-analfabetos, para não me alongar muito mais nessas “estatrísticas” sociais brasileiras. Sim, temos um povo muito sofrido.

Agora, que condescendência para os canalhas da fé... Deputados que se dizem evangélicos são reeleitos e demonstram um impressionante cinismo diante das clamorosas evidências de falcatruas cometidas por eles. Alguns pastores e alguns auto-proclamados bispos, apóstolos cometem crimes – crimes mesmo! – e tudo continua absolutamente igual. Ah, como é duro agüentar frases do tipo: “em vez de falar mal dele, ore por ele”; “coitada da família do fulano”; “não é tudo isso que estão dizendo”; “é armação do diabo contra a vida dele”; “é a igreja de Cristo sofrendo perseguição.” E o que dizer da cumplicidade cafajeste que se disfarça de corporativismo, ética, coleguismo? O que muitas vez é dito como “ah, não quero falar mal de fulano por razões éticas” soa, na verdade, meus caros, como uma caracterização do crime de formação de quadrilha, de estelionato espiritual e de falta de vergonha na cara mesmo.

A fórmula do sucesso

Pastor ungido é pastor bem vestido, que abre um monte de igreja e que tem programa na televisão. Infelizmente, este é o senso comum evangélico. Não importa que, pela TV, não se veja a vida desses televangelistas, pois, se parecem cristãos, são cristãos; se parecem raivosos no pregar, “ah, é a unção que Deus deu pra ele”; se não evidenciam o amor de Deus, “ah, mas você só vê defeito!”; se ostentam um luxuoso padrão de vida, “ah, nosso Deus é próspero!”

Infelizmente, a fórmula dos programas é quase sempre a mesma: um âncora, uma igreja, uma mensagem focada em benefícios aos ouvintes e apelos financeiros. Nós, telespectadores, somos insistentemente convidados, “desafiados” a consumir e a pagar. É por isso que sempre há a faixa horizontal, lembrando os programas de televendas, tipo Polishop. Em vez de consumidores, somos chamados assim: sócio, coluna, colaborador, abençoado.

Em muitos programas, os coadjuvantes deixam claro o nepotismo flagrante: esposas, filhos, genros, sogros e outros parentes também aparecem na telinha, mostrando como a igreja, em vez de transformar o Brasil, traz para dentro de si própria as falhas morais e éticas do país, como clientelismo, nepotismo, coronelismo e tantos outros ismos lamentáveis.

Não precisa ser muito observador para perceber como os ministérios e os ministros são mais importantes do que a mensagem cristã veiculada. Deus se torna o pretexto, apenas o garoto-propaganda da igreja, da visão, do “homem de Deus”. E os cristãos-telespectadores, por mais que às vezes se sintam incomodados com algo, aliviam-se com a seguinte avaliação: “pelo menos, o nome de Deus está sendo pregado e a obra está crescendo”. Pois é, meus caros: prevalece a lógica maquiavélica de que o fim justifica os meios. Sucesso ministerial virou sucesso comercial; igreja boa é igreja grande; cantor, grupo ou ministérios musicais bons são aqueles que vendem muito e tocam na rádio. Infelizmente, a lógica do mercado esmagou os referenciais éticos genuinamente cristãos. Homens da fé, como Estevão, Oséas, Paulo, Barnabé, Jeremias seriam considerados hoje em dia, por estes arautos da prosperidade mais capitalista que cristã, como uns “idiotas, que sofreram porque quiseram, que se colocaram como cauda e não cabeça”.

Fechando este texto – embora haja muito mais...

Temos de abrir os olhos mesmo e perceber que, no Brasil, está surgindo um novo Cristianismo, um pouco parecido com o Cristianismo bíblico, mas uma verdadeira fraude, enganando a muitos. Chega de defender pilantras com a desculpa “ah, é o nome de Deus que está em jogo”. Deus não tem pacto com pilantragem, muito menos precisa desse tipo de defesa tão cretina e imoral. Ministérios precisam dessas defesas odiosas, pois o que está em jogo na maioria das vezes, infelizmente, é o interesse econômico e, não, o nome de Deus. Chega de absolver criminosos com a alegação “Ah, como ficará a imagem da igreja evangélica no Brasil?” Garanto que a imagem da igreja evangélica só se desgasta de fato quando ela se torna conivente com práticas ilegais e quando não se mostra indignada efetivamente diante dos cambalachos feitos por aqueles que se colocam como a voz de Deus na Terra, apóstolos da prosperidade que eliminaram a perspectiva de humildade tão preconizada pela Bíblia.

Se a igreja no Brasil quiser crescer de fato e dentro dos padrões autenticamente bíblicos, terá de retroceder aos ensinamentos genuinamente cristãos. Só haverá avanço efetivo se sempre estivermos recuando em direção às fontes de nossa fé. Precisamos urgentemente rever qual é nossa visão a respeito de um sucesso efetivamente bíblico, que não combina necessariamente com a lógica mercadológica tão apregoada pelos gurus da auto-ajuda e das palestras motivacionais.

Fábio Bettes
Estudou Direito e Letras na UFPR.
Professor de Literatura Brasileira e autor de livros didáticos.
Casado com Andréa há 8 anos, pai da Laura (2 anos e meio) e Davi (8 meses).
Membro da Igreja Evangélica Monte Hebron (Curitiba-PR) desde 1996 e tecladista da Banda Matizes.


Leia mais:

15 comentários:

Sara Ellen disse...

Realmente isso é uma grande verdade....O cristianismo hoje em dia tem ocorrido muitos fatos que não vão de acordo com a vontade de Deus!! E muitos tentam justificar que se acontece algo com o ´´cristão´´ se ele comete algo errado...vem aquelas justificativas “em vez de falar mal dele, ore por ele”; “não é tudo isso que estão dizendo”; “é armação do diabo contra a vida dele”...Para um cristão que trabalha na obra de Deus,é preciso muita sinceridade no coração,não basta apenas saber sobre Deus,precisa haver todos os dias uma comunhão diária,uma entrega total a ELE,um coração sincero e cheio de boas informaçoes para passar adiante!! Sem falsidade,sem cinísmo,sem más intençoes.Para que o trabalho possa ser feito com exelencia e principalmete para que diante de Deus você seja um filho que sabe falar do seu amor para quem precisa ouvir com total sinceridade!
No texto também fala um pouco sobre o julgamento que muitos fazem...Não devemos julgar ninguém,não cabe a nós fazer-mos isto,não temos esse direito pois somos todos filhos de um mesmo pai e estamos sujeitos a erros! Mas que possamos ter um coração sincero e deixar que Cristo oriente nossa vida!!!

Cabral disse...

é verdade hoje em dia Deus não ta se agradando com muitas coisas, muitos cristãos são julgados.
todos precisamos de sabedoria humildade e sabes a ajudar o próximo, não podemos ficar julgando qualquer um. O diabo faz muitas coisas para nos colocar para baixo. o cristão precisa de mais oração mais tempo com Deus, estamos vivendo num mundo que é dificil achar uma pessoa sincera e leal.

Anônimo disse...

Julia Bathke:

é, hoje em dia, é bem complicada esta situação, as pessoas, acham que só por que se trata da igreja de Deus, devemos confiar de olhos vendados, e infelizmente, é um horror termos que passar por esta situação, termos que tomar cuidado até mesmo com as pessoas de dentro da igreja, quando Deus diz que no mundo teremos aflições, acho que ninguém poderia imaginar o tamanho destas palavras.
O importante mesmo hoje, é estarmos com o coração em Deus, realmente sentirmos a sua presença, termos conhecimento da sua palavra, por que graças a Deus, a justiça está nas maos dele!

andre disse...

O que eu entendi na materia, é que a igreja envangelica esta transformando a igreja em uma forma d negocio. ao inves de pregar a palavra de Deus, além de inventar coisas que nao estao na biblia, e pregar isso aos cristaos como se fosse algo de Deus. Eles se preocupam mais com a "midia", fazem programas de tv, radio,etc. Pra eles igreja boa é aquela igreja grande, onde vao muit6os fieis, onde o ministerio de musica venda muitos cds, na veradade eles nao louvao a Deus com ointeresse de envangelisar, e sim com interesses financeiros. Isso esta uma vergonha para nos cristaos que fazemos o certo. Muitos astores, bispos, criam citaçoes como se fosse de Deus. Fazem coisas absurdas e dizem que é por Deus. Isso é lamentevel, porque nao sao rtodos os patores, bispos, nem é toda igreja que faz isso, mas mesmo assim cabam pagando pelos erros dos outos. Deus nos disse que deveriamos amar ao proximo como a nos mesmos, e nao é isso que vem acontecendo. Ninguem tem o direito de julgar ninguem. Todos nos temos o direito de viver em Deus e viver tambem na verdadeirapalavra de Deus, no que realmente esta na Biblia.

(André 7ªB)

Anônimo disse...

Infelizmente é uma grande verdade que estamos passando por um momento muito dificil na religiao envangelica, porque muitos pastores, bispos estao pregando uma palavra que nao é de Deus, eles estao inventando dizeres que nao estao na Biblia. Muitos cristaos acabam acreditando porque tambem nao lêm a palavra de Deus. Muitos brasileiros ainda sao analfabetos, nao tiveram a oportunidade de estudar, e acabam também sofrendo com tudo isso. É rediculo o que muitos deles fazem. Eles dizem que igreja boa é aquela que esta na midia, programas de tv e radio. E que ministerio de musica bom, é aquele que vende muitas copias de cds. Isso esta errado, nao pode continuar assim, esta na hora de nos cristao pararmos e prestarmos mais atençao, todos nos somos filhos de Deus e devemos defender a palavra dele. Nao devemos julgar ninguem pelos seus atos, mas tambem nao somos obrigados a aceitar tudo e ficar de braços cruzados. Esse tempo de Coaresma é um otimo tempo mpara refletirmos sobre isso e tentar fazer melhor. Afinal nao sao todos que cometem erros, e os bons acabam pagando pelos maus.

RICHARD METZLER 7ªB

Alessandra disse...

Pelo o que eu entendi hoje em dia o cristianismo acontese várias coisas que não é voltada a Deus como teria que ser, mas sim voltada a economia, política...., e nós cada um cada, cada cristão deve acreditar ter fé em Deus pelo o que Ele nos ensina, e não acreditar e pronto no que os outros falam simplesmente para nós de Deus. Nós devemos ter o nosso conceito a nossa fé, o que a gente acredita é isso e deu, não tem essa de fica acreditando nessas indulgencias. Somos cristões acreditamos em Deus temos a nossa fé e pronto, pois hoje em dia essa situação é muito complicada, e isso é muito difícil achar algma pessoa cristã de verdade.

Anônimo disse...

Mayara Marques

Booom, é realmente uma prova do Final dos tempos...
As pesssoas usam a religião como uma máscara, um fingimento... usam a palavra e no nome de Deus para cometer atrocidades...
é triste mais o futuro é certo.... Inferno...
pois DEUS ñ é DEUS de brincadeira e de mentiras...

guilherme disse...

Bom professor gostei muito dessa postagem, em minha opinião ele esta correto, pois muitas igrejas (Evangélicas) fazenda igreja um verdadeiro “comercio” fazem da casa de Deus um mercado, e estão fazendo como antigamente, nos tempos de Jesus quando Ele fez de cordas um chicote.
Só que agora não tem Jesus aqui para dizer a eles que estão fazendo a coisa errada.
Foi bom o Fábio Bettes ter dito isso, pois quem sabe se algumas pessoas estiverem vendo isso na sua igreja que eles tomem alguma providencia nem que seja sair dela, mas sempre estar pensando em Jesus como Seu Senhor e Salvador.

ALUNO: Guilherme Diniz de Souza

Anônimo disse...

Andresa Alves - 1º EM

Hoje existem vária Igrejas, de todo jeito e tipo, e às vezes, confiamos tanto que acabamos esquecendo que somos humanos, somos falhos. Quando aceitamos a Jesus como Salvador, devemos olhar para o alto, e esquecer os homens, não olhar os erros, as falhas, pois o mundo é falho, mas Deus não, se seguirmos à Ele, e esquecermos as coisas terrenas, alcaçaremos a glória, e não faremos como muitos que abandonam sua religião dizendo: - eu sai de tal igreja por que ela era cheia de erros!- a igreja possuí erros, porque ela é feita de homens. Hoemens são pecadores, mas Deus não, e Ele é o único que pode nos julgar e nos moldar.

Fernando Cézar disse...

Tais certo quanto julgamento.Infelizmente não só no mundo cristão mas em todos os lugares onde se encontram pessoas que se dizem cristã...acabam julgando um ao outro. Veja que nesse momento estou julgando um post desse blog.Penso que é preciso muita prudencia quando se abre a boca.Precisa- se hoje em nossos dias de muito mais sabedoria e menos julgamento.É preciso ser mais temente a Deus e deixar o diabo em seu lugar que é embaixo de nossos pés.Infelizmente vivemos em um meio onde o cinismo e a mentira são as caracteristicas principais das pessoas e temos que reverter esta situação.Não nos cabe julgar ou condenar ninguem por nenhum ato, mas precisamos orar sim;ensinar sim; fazer nossa parte sim.Oro para que Deus esteja me policiando todos os dias e tenha misericórdia de nós que somos tão pecadores.

Manoela... disse...

Se igreja não gerasse boa renda, não existiria tantas nesse país, e quanto mais membros, mais dízimo e mais dinheiro no bolso desses falsos profetas. Isso não acontece agora, vem acontecendo desde sempre, o nome de Deus é usado como desculpa, por pessoas que se dizem religiosos. Realmente as condições do Brasil são deploráveis, mas nada justifica essa pacividade para com os corruptos...
... cristãos(QUE SE DIZEM), Brasil ACORDA, o dinheiro é nosso, vamos rever esses conceitos, ele rouba mas ta fazendo alguma coisa.
Roubar é crime, não importa se é pastor, médico, empresário, bispo, pedreiro, gari!Que se cumpra a lei.
Religião na TV já virou sinônimo de canalhice, nepotismo, comércio. Religião em eleição já virou markenting.Que país é esse? Se nem em quem se diz de Deus não se pode confiar.

Abraão Werner disse...

É verdade que a televisão serve de propaganda para a religião como se tratasse de vendas e que aqui ser cristão já virou estratégia de eleição, o povo é crédulo, e os líderes são enganadores. Justiça seja feita, se não agora, quando for da vontade de Cristo.

Andressa Back disse...

Essas pessoas que se dizem enviados de Deus, para se aproveitarem da boa fé e da crença do nosso povo, são enganadores e na maioria das vezes seus lugares deveriam ser na prisão. Pq lugar de ladrão é na cadeia. Não sei como eles conseguem por a cabeça no travesseiro e durmir de consciencia tranquila. Pobre povo brasileiro, que se deixa motivar, enganar, por esses ladrões. Nossa, como podem envolver o nome de Deus nessa sujeira! Isso me deixa indignada! Bom, o acerto de conta deles um dia chegará!

anthea disse...

É isso ai, infelizmente,é o que acontece. Eles falam, o povo acredita e os admiram, TV, rádio, mídia, eleição, tudo movido a ganancia.
Como podem serem tão falsos, não é assim não vou acusar pq aonde o nome da igreja evangelica vai parar...
... Tem que acusar mesmo, roubou tem que pagar.

Gostei mto da postagem Prof.

JULIANO disse...

atualmente acontecem coisas no qual nao agradam a Deus, como no fato de lideres da igreja pensar so bem material, ou fazer aquilo so porque esta ganhando alguma coisa,a corrupcao acontece em qualquer lugar, instante, entao nao temos como fugir, ate na propria igreja temos que ficar de olho, mas o importante é seguirmos Jesus sendo fiel a ele em todos os aspectos, e pedir a ele que ilumine nossa vida!