quinta-feira, 13 de março de 2008

VIVENDO NA ERA DO RETOQUE

A imagem da esquerda foi editada usando o Photoshop

Em uma época em que a imagem é tudo, também se faz de tudo pela imagem. Do botox aos retoques made in Photoshop, o importante é deslumbrar. Um dos efeitos desta cultura do ícone é a padronização da beleza, o que se dá pelo exercício da constante superexposição de modelos de beleza.
Ocorre que esta padronização esmaga os traços individuais (como no caso de atores sexagenários que, devido ao número de cirurgias plásticas, têm a pele esticada a ponto de comprometer as linhas de expressão facial), e consagra aqueles que se encaixam no conceito pré-estabelecido.
Os demais mortais ficam relegados a duas atitudes: ou se curvarem aos cânones eleitos e expostos pela Mídia, aceitando-os como deuses-híbridos com a nossa espécie, inalcançáveis, ou buscarem desenfreadamente “atingirem” a beleza, submetendo-se aos recursos da moderna “indústria médica da beleza” e ao consumismo (vestir-se com as marcas famosas pode fazer alguém conceitualmente belo).
O fascínio exercido pela aparência angaria poder, status, fama. As portas se abrem. Os convites aparecem. Os flashes disparam. E a exposição acarreta mais exposição, numa espécie de ciclo em torno da personalidade, que, em alguns casos, ganha uma aura mítica. 
No entanto, a beleza física não se sustentará ao longo de décadas. E os que foram belos são lançados no limbo, esquecidos na solidão de suas rugas e pelancas. Será que a vida é apenas investir em algo que será apagado? Beleza é apenas o que o olho consegue mensurar? Há pelo menos três fatores que fazem alguém belo de fato e verdade:

O investimento na relação intrapessoal: temos que nos amar, reconhecer que um Deus Perfeito nos projetou, à Sua imagem e semelhança; e se o Senhor é capaz de nos amar como somos, por que deveríamos censurar-nos por não termos olhos claros, cabelos lisos e físico atlético? Quem se ama quer terminar a faculdade, ganhar melhor, ter um casamento saudável, planejar férias com a família – enfim, viver a vida que merece, que todos merecem;
O investimento nas relações interpessoais: belas são as pessoas generosas, desapegadas de quaisquer mesquinhez, dispostas a oferecer de sua simpatia involuntariamente, influenciando os que os cercam para o bem. Pensar nos outros é, ao mesmo tempo, uma grandeza e um sintoma de uma beleza extrema;
O investimento na relação comunal: Gozar do privilégio de ouvir a voz de Deus em meio ao ranger de trovões é pôr os pés, antecipadamente, no porto seguro. Quem comunga com o alto se sensibiliza diante da menor das criaturas, e não em frente ao espelho.


Ser belo depende de você e de sua disposição de investir na verdadeira beleza.

3 comentários:

raniery disse...

bom,o que você acha que é beleza?é o que a sociedade diz ou que Deus diz?você tem que parar e pensar umpouco ce a bleza fisíca e que inporta ou a beleza de dentro vamos dizer assim,eu não estou dizendo que você ce cuidar faz mau mas a sua comunhão com Deus tambem e importante você tando em comunhão com Deus você vai tar bem espiritualmente que e a beleza mas preciosa que um ser humano pode ter.

Teka disse...

Às vezes, em um concurso "mundial" de Miss, a maioria das participantes parecem gêmeas idênticas (hehehe). Nem parece que representam nações "diferentes", porque todas seguem o mesmo padrão de beleza. Esse problema já virou pandemia.

É uma ditadura tão severa, que até os homens viraram "vítimas". Quem diria?!(...)

Anônimo disse...

eu gostei muito deste texto é muito enteresante para todos nós (mulheres), as vezes eu vou desfilar e passo um monte de maquiagen para tirar as pintas, espinhas e etc..isto fas com que as mulheres ficam cada ves mais bonitas,então a maquiagen é o nosso salva vida porque sem a maquiagen nós ficamos outra pessoua. LUANA C.. obrigado!!!